Gestão de Clínicas e Consultórios

Segurança do Paciente

Segurança do paciente

A segurança do paciente tornou-se o grande objetivo das instituições de saúde, com o intuito de evitar a possibilidade do erro médico. Nesse sentido, várias ações passaram a ser desenvolvidas para reduzir a um mínimo aceitável qualquer tipo de risco de dano desnecessário associado ao cuidado destinado ao paciente. Hoje, é um dos pilares para que o atendimento de qualidade tenha todo o amparo de segurança.

Neste post, a ProDoctor Software traz para você informações detalhadas acerca desta preocupação, inicialmente externada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Confira, a seguir, alguns pontos importantes deste tema que está diretamente relacionado à relação médico-paciente, principalmente, nesse período de combate ao coronavírus.

  • Por que segurança do paciente?
  • A OMS e a segurança do paciente
  • Desafios
  • Segurança do paciente no Brasil
  • Metas Internacionais de Segurança do Paciente

Talvez você também goste:
Metas Internacionais de Segurança do Paciente
Por que ter relatórios gerenciais?


Por que segurança do paciente?

Segurança do paciente

Somente a partir da década de 1990 é que este tema passou a ser visto como um ponto chave na questão do atendimento prestados pelas instituições de Saúde. Como resultado, tornou-se uma importante disciplina para aprofundar os relatos, realizar análises criar protocolos de prevenção contra possíveis erros médicos. Só para ilustrar: Em 1999, a publicação “To err is human”, do Institute of Medicine, estimou que anualmente ocorriam de 44 mil a 98 mil mortes decorrentes de falhas na segurança do paciente.

Até então, não eram muito conhecidas a frequência e a gravidade dos erros médicos, proporcionando consequências desastrosas, como por exemplo sequelas físicas, psicológicas e óbitos. Com toda a certeza, foi a partir dos impressionantes erros divulgados em vários países que a comunidade médica internacional decidiu enfrentar a questão. Afinal, os dados acerca dos pacientes prejudicados ou mortos eram alarmantes.

A OMS e a segurança do paciente

Segurança do paciente

Diante dos números estarrecedores, a Organização Mundial da Saúde (OMS) caracterizou o quadro como “uma preocupação endêmica”. E enfatizou que seu objetivo é diminuir as ameaças a um mínimo aceitável, especialmente no que se refere à infecção e à ocorrência de eventos adversos, assim como oportunizar a segurança das cirurgias, entre outros.

A OMS passou a tratar o problema com a devida preocupação. Por conseguinte, determinou o dia 17 de setembro como data especialmente reservada para reforçar a necessidade da adoção de ações de prevenção de eventos adversos nos serviços de saúde.

Desafios

A instituição alerta que são inúmeros os desafios para se alcançar os objetivos. Todavia, acrescenta que outros também devem ser olhados com atenção. Dessa maneira, a OMS acredita na importância de concentrar esforços na adoção de estratégias de prevenção, colocando o paciente no centro das atenções, com o intuito de evitar que realize procedimentos desnecessários.

Confira 10 fatos importantes sobre a Segurança do Paciente, conforme a OMS.

Segurança do paciente no Brasil

Em 2018, o 2º Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar no Brasil destacou que a prevalência média de eventos adversos é de 7%. E enumerou os principais: infecção do trato urinário, septicemia, pneumonia, infecção de sítio cirúrgico e complicações com acessos e dispositivos vasculares.

Além disso, revelou que, a cada hora, seis mortes foram provocadas por eventos adversos graves. Ou seja, em consequência de falhas e erros assistenciais ou processuais, bem como por infecções e outros fatores. Por fim, destacou que quatro desses óbitos poderiam ter sido evitados.

Passo a passo para abrir seu consultório

Está começando agora e não sabe exatamente o que fazer? Baixe nosso material gratuito e confira todas as dicas!

Metas Internacionais de Segurança do Paciente

Segurança do paciente

As Metas Internacionais de Segurança do Paciente foram criadas com o intuito de reduzir o risco de males ligados à saúde. Elas foram desenvolvidas a partir do momento em que se tornou uma exigência clara capaz de solucionar os problemas diários em uma instituição de Saúde.

Além de normatizar determinadas práticas, também garante direitos ao paciente. O primeiro passo para sua criação foi dado no dia 27 de outubro de 2004, em Washington (Estados Unidos), com a World Alliance for Patient Safety (Aliança Mundial para a Segurança do Paciente).

Resumo

O atendimento de qualidade na área da Saúde colocou o foco na necessidade de proporcionar o máximo de segurança aos pacientes. Para alcançar as metas, é preciso redobrar as atenções e investir na prevenção. Dessa maneira, não só os pacientes terão um atendimento seguro, mas também os médicos e as instituições de Saúde estarão resguardados de eventuais processos na Justiça.

Além disso, o fator segurança é de suma importância para a imagem dos médicos e das instituições onde trabalham.

Você pode se interessar por