Plataforma de Telemedicina: Qual a melhor? - Blog ProDoctor
Tecnologia na Medicina

Plataforma de Telemedicina: qual a melhor?

plataforma de telemedicina

Para ser considerada a melhor, uma Plataforma de Telemedicina deve garantir a qualidade no atendimento e a segurança total dos dados, não apenas do profissional de Saúde, como também do paciente. A Telemedicina é uma modalidade de atendimento com eficiência comprovada. Ela foi essencial no período da pandemia da Covid-19. Com a regulamentação, que aconteceu em maio de 2022, ela está consolidada e promete ser cada vez mais utilizada no país.

Neste post, trazemos um alerta importante: na hora de escolher uma plataforma de Telemedicina, é preciso saber bem o terreno em que se pisa, a fim de oferecer um serviço de alta qualidade e eficiência. Mas, que também esteja solidamente cercado de segurança, com o intuito de proteger todos os dados, atendendo assim às recomendações da Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD e do Conselho Federal de Medicina – CFM.

A seguir, confira todos os detalhes sobre a Telemedicina, entendendo o conceito e o seu crescimento exponencial e descubra qual a melhor plataforma.

  • O que é Telemedicina?
  • Como está a Telemedicina no Brasil? Veja alguns dados e resoluções
  • O que é uma Plataforma de Telemedicina e quais os seus benefícios?
  • Escolhendo uma plataforma de telemedicina: principais características para analisar antes de contratar
  • A experiência do usuário na plataforma de Telemedicina
  • O que dizem o CFM e a LGPD sobre as plataformas de Telemedicina?

O que é Telemedicina?

plataforma de telemedicina

Por definição, Telemedicina é serviço de atendimento à saúde e troca de informações entre o profissional da saúde e o paciente, feita a distância, por meio de canais digitais, ou seja,  de plataformas tecnológicas que viabilizam o serviço.

Antes da pandemia, a principal função da Telemedicina era possibilitar acesso às regiões mais distantes do planeta.

As populações que não têm acesso a um atendimento médico de qualidade devido à falta de recursos e à difícil localização foram as que mais se utilizaram desse serviço.

Com o distanciamento social imposto como política de combate à pandemia do coronavírus, a Telemedicina foi adotada em caráter emergencial pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e também pelo Ministério da Saúde.

Sem dúvida, despertou-se entre os profissionais da Saúde a necessidade de lançar um olhar ainda mais humano sobre quem está sob seus cuidados.

Mesmo acontecendo em um ambiente virtual, a Telemedicina estreita a relação médico-paciente

|Confira: Diferenças entre Telemedicina e Telessaúde.

Como está a Telemedicina no Brasil? Veja alguns dados e resoluções

Como vimos, antes mesmo da pandemia, a Telemedicina era utilizada como forma de chegar a lugares remotos.

Com a pandemia, ela saltou para a ordem do dia e tornou-se palavra comum no vocabulário das pessoas em busca de atendimento. Notou-se a sua importância, sedimentando o seu posicionamento. Ou seja: veio para ficar!

Seu uso foi adotado em março de 2020, quando o Conselho Federal de Medicina e o Ministério da Saúde autorizaram o atendimento virtual através da Portaria nº 467, durante o surto de Covid-19, a fim de assegurar o atendimento médico à população em geral de forma remota.

No Brasil, desde que a Lei 13.989/2020 foi sancionada, mais de 7,5 milhões de atendimentos foram realizados através da Telemedicina, por mais de 52,2 mil médicos entre 2020 e 2021.

A demanda de serviços por Telemedicina cresceu substancialmente em clínicas, operadoras de saúde, empresas e hospitais. Entre 2021 e 2022, pelo menos metade da população brasileira realizou serviços de saúde online, por meio de plataformas de Telemedicina. É o que mostra o estudo da Cetic.

Vale citar que, recentemente, o Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamentou a prática da Telemedicina no Brasil, por meio da Resolução nº 2.314/2022, divulgada em 5 de maio, porém válida desde 20 de abril de 2022. 

|Leia também: Regulamentação da telemedicina no brasil: o que muda, na prática?

O sucesso do atendimento remoto nas plataformas de Telemedicina

Com a Telemedicina, viabilizou-se o atendimento remoto, com a realização de consultas, interpretação de exames e laudos e orientações de tratamento a distância.

Por isso, hoje, ela se apresenta como uma modalidade de atendimento que veio para ficar, até mesmo no pós-pandemia. 

Porém, para que isso aconteça da melhor forma, é necessário ter uma boa plataforma de telemedicina.

Ou seja, a prestadora do serviço precisa estar adequada às leis, normas e resoluções e oferecer um serviço seguro e de qualidade. Vamos falar mais sobre isso ainda neste artigo.

Plataformas de Telemedicina ajudaram a salvar 75 mil vidas no País

Em artigo para a Federação Brasileira de Hospitais, o escritor e Mestre em Ciências da Saúde, Osvaldo Simonelli, cita um levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital que diz que 91% das teleconsultas realizadas durante a pandemia foram resolutivas.

Isto quer dizer que os pacientes tiveram suas queixas resolvidas, sem precisar procurar o atendimento presencial posteriormente.

A organização estima que cerca de 75 mil vidas tenham sido salvas no Brasil por meio de atendimentos realizados através de plataformas de Telemedicina.

O que é uma Plataforma de Telemedicina?

telemedicina

A plataforma de Telemedicina é o meio eletrônico por onde ocorre o teleatendimento, isto é, o serviço de atendimento entre o profissional da saúde e o paciente de forma remota.

Um ponto importante a ser observado é que a teleconsulta está muito além de uma simples videochamada.

Por isso, uma plataforma de Telemedicina é uma solução digital, que deve permitir a conexão entre profissional da Saúde e paciente.

Uma plataforma de Telemedicina deve, ao mesmo tempo, viabilizar a transmissão e proporcionar o compartilhamento e o armazenamento de arquivos digitais na nuvem, ou seja, em um servidor na internet.

Com o crescimento do atendimento virtual e o desenvolvimento de ferramentas tecnológicas, as funcionalidades da telemedicina foram muito além da comunicação a distância.

Porém, para ser considerada uma boa plataforma de telemedicina, ela deve trazer, de forma unificada, algumas ferramentas que são essenciais para otimizar o atendimento remoto.

Alguns exemplos são:

Benefícios da plataforma de Telemedicina

Um dos maiores benefícios que a Telemedicina trouxe foi evitar que as pessoas tivessem que ir aos hospitais e demais unidades de saúde para enfrentar filas e se expor ao contágio.

Além disso, com as plataformas de Telemedicina, os estabelecimentos de saúde ganharam em agilidade e qualidade, pois a prática desafogou, em parte, o sistema público de Saúde.

O teleatendimento não apenas reduz o risco de exposição ao vírus, como também exclui variáveis como a sala de espera e a agenda lotada, os atrasos no atendimento e os custos nas unidades de Saúde para o atendimento físico.

É importante destacar que o segmento de telerradiologia, com o acesso de exames de raio-X pela internet, tanto pelo médico, quanto pelo paciente, é responsável por cerca de 40% das aplicações de Telemedicina.

Com toda a certeza, isso tem resultado em uma grande redução de custo para as instituições de Saúde e para os pacientes.

De um lado, os pacientes ganham tempo e economizam recursos em sua locomoção até as unidades de Saúde. De outro, os hospitais, por exemplo, economizam com a redução dos leitos ocupados, ganhando agilidade com o desafogo no atendimento.

|Saiba mais sobre as vantagens da Telemedicina.

Escolhendo uma plataforma de telemedicina: principais características para analisar antes de contratar

Antes de contratar uma plataforma para o serviço, é comum surgir a dúvida: como escolher a melhor plataforma de Telemedicina?

Confira abaixo alguns pontos importantes para levar em consideração na hora de eleger qual é a melhor plataforma de telemedicina no mercado.

Unificação no lugar de integração

Para se ter total segurança, a recomendação é que se utilize uma solução unificada e diferente de tudo já visto em Telemedicina.

Procure optar por um software que, do lado do paciente, não seja necessário baixar nenhum aplicativo ou fazer qualquer instalação em seu celular ou computador.

Para o profissional da Saúde, essa solução unificada e sem integrações o deixará tranquilo para realizar seu trabalho com total segurança.

Com isso, ele poderá acessar o prontuário do paciente, enviar receitas e fazer o atendimento em uma única tela.

Resumindo: tudo dentro de um sistema unificado, que é diferente de integração de múltiplas soluções. Além de ser uma opção muito mais segura, por não trafegar dados sensíveis para fora da plataforma, é fluida. Ou seja, se aproxima da experiência de uma consulta presencial.

A ProDoctor desenvolveu uma plataforma de Telemedicina que é segura de verdade, simples de usar e que se tornou case global da maior plataforma de nuvem do mundo: a Amazon AWS.

Assinatura Digital

Uma das demandas mais frequentes dos profissionais de Saúde é poder prescrever receitas diretamente do seu dispositivo e assinar digitalmente, através do QR Code.

Evite soluções complementares, como por exemplo, a utilização de um software médico integrado com uma solução para Telemedicina e também integrado com outra solução para prescrição.

Os riscos de vulnerabilidade dos dados dos pacientes com a utilização de uma plataforma com integrações são muito altos.

Como garantir a segurança das informações e do seu uso? Este é um precedente perigoso e que merece total atenção.

Procure, então, um software com credibilidade no mercado e que realmente proporcione a segurança real para seus clientes.

Quer implementar a Telemedicina de forma fácil e segura? É só clicar no botão:

Sua opção deve ser por uma solução em que o usuário, durante a teleconsulta, possa enviar para o paciente documentos assinados digitalmente, como por exemplo atestados, pedidos de exame e prescrições, em apenas um clique. E, se acaso for necessário, depois de sua realização.

Plataforma de Telemedicina ideal: em nuvem e com suporte

É imprescindível que a plataforma de Telemedicina ideal tenha conexão em Nuvem, armazenando todos os documentos pessoais e clínicos dos pacientes.

Além disso, é fundamental que a empresa que desenvolveu o software ofereça um suporte especializado, eficiente, ágil e de qualidade para os usuários.

Certificados de Proteção de Dados na plataforma de Telemedicina

É fundamental que a plataforma de Telemedicina ofereça a devida segurança para os dados dos pacientes e acesso dos profissionais.

Por isso, verifique se ela acompanha os certificados de proteção e tecnologias de criptografia, a fim de reduzir as chances de roubo de informações.

Além disso, órgãos de fiscalização também determinaram protocolos específicos para que esses sistemas possam operar.

Assim, também é importante verificar se as ferramentas seguem as determinações legais de segurança.


Leia também: A certificação HIPAA é aplicada a empresas brasileiras de telemedicina?


A experiência do usuário na plataforma de Telemedicina

Muitos profissionais da Saúde têm dificuldades em encontrar a plataforma de Telemedicina certa para oferecer o serviço. Um dos motivos é justamente a experiência do usuário.

Existe uma preocupação em utilizar várias ferramentas integradas, mudando de telas o tempo todo, o que pode dificultar o atendimento.

Segundo a pesquisa CX Trends 2022, publicada pela Zendesk, 90% dos consumidores de serviços de saúde dizem que gastariam mais por experiências personalizadas.

Por outro lado, 67% dos líderes do setor confirmam que o atendimento ao cliente é prioridade crítica de negócios.

Por isso, ao escolher uma plataforma de Telemedicina, procure uma que ofereça todas as soluções necessárias em uma única tela.

Este mesmo relatório publicado pela Zendesk revela que as instituições de saúde que adotam soluções de experiência do cliente têm, em média, pacientes 2,7 vezes mais satisfeitos do que as que não adotaram soluções de experiência do cliente.

Logo, é possível perceber a importância de uma boa experiência do usuário na plataforma de Telemedicina.

O que dizem o CFM e a LGPD sobre as plataformas de Telemedicina?

plataforma de telemedicina

Além da experiência do usuário, outro aspecto muito importante na hora de escolher uma plataforma de Telemedicina é a questão da privacidade. 

Segurança é a palavra-chave em termos de plataforma de Telemedicina. Tanto a plataforma de Telemedicina quanto a empresa desenvolvedora da solução precisam garantir a segurança dos dados de profissionais de Saúde e de pacientes.

Isso envolve estar em total conformidade com a LGPD e às normas do CFM, não permitindo, em hipótese alguma, o marketplace.

Após a liberação da teleconsulta durante a pandemia, o Conselho Federal de Medicina oficializou suas determinações para a realização da Telemedicina, como é o caso da obrigatoriedade da garantia de confidencialidade durante as consultas.

Os dados criptografados nas plataformas fazem parte dessa obrigatoriedade.

A plataforma para Telemedicina deve operar com criptografia, senha e outros recursos de segurança.

Desse modo, impossibilita o vazamento de dados sensíveis, como os documentos e o prontuário do paciente.

Daí a importância de se observar se o software utilizado contém métodos de proteção.

É fundamental que a plataforma de Telemedicina esteja alinhada com as determinações da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), garantindo o sigilo e a segurança para os dados dos pacientes e o acesso dos profissionais.

Dessa maneira, é importante verificar bem se ela tem e acompanha os certificados de proteção e tecnologias de criptografia necessários para diminuir as possibilidades de sequestro de qualquer informação.

Por que ter uma plataforma de Telemedicina na sua clínica?

Após a leitura deste post, com certeza, você percebeu a importância de se escolher a melhor plataforma de Telemedicina.

Com toda a certeza, o pós-pandemia registrará um crescimento ainda maior da utilização desse atendimento virtual.

Assim, a melhor plataforma de Telemedicina tem que trazer como base de sua oferta de serviços a segurança do sistema que utiliza.

Você pode se interessar por