Destaque Tecnologia na Medicina

O que é Telemedicina, como funciona e como implementar

Telemedina

Atenda com segurança seus pacientes sem precisar recebê-los no seu consultório ou clínica. Com a ProDoctor, você pode aproveitar todos os benefícios da Telemedicina sem gastar mais nada por isso.

Isso mesmo, você não precisa contratar nenhum serviço específico para começar a utilizar a Telemedicina! Com a ProDoctor, você tem orientação especializada e gratuita para lhe ajudar em todos os passos de implementação.

Telemedicina sem erro

Aprenda o que é Telemedicina e descubra como implementar para que possa colocar em prática.

O que é Telemedicina?

Definida como uma modalidade usada para atendimento pré-clínico, a Telemedicina está em alta no mercado desde a aparição da Covid-19 (Coronavirus Disease 2019), que se intensificou nos primeiros meses do ano de 2020.

A Telemedicina pode abranger suporte assistencial, consulta, monitoramento e diagnóstico no Sistema Único de Saúde (SUS), bem como na saúde suplementar e privada. Ela facilita o atendimento médico a distância, permitindo a comunicação direta entre médicos e pacientes. O uso de tecnologias da informação e comunicação garantem a integridade, segurança e o sigilo de informações.

QUERO IMPLEMENTAR TELEMEDICINA

 

Como funciona a Telemedicina no Brasil?

No Brasil, a Telemedicina foi autorizada em caráter excepcional pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pelo Ministério da Saúde (MinS), conforme a Portaria nº467 enquanto durar a pandemia do Covid-19, e já está em uso por clínicas, consultórios e médicos em todo o País.

Atenção:

No último dia 15 de abril foi publicado no diário oficial da união a Lei nº 13.989/20, que aborda a Telemedicina. A sanção presidencial ocorreu com veto parcial. Os artigos vetados foram o parágrafo único do artigo 2º e o artigo 6º.

O parágrafo único do artigo 2º foi vetado, já que após o fim da pandemia, esta matéria será regulada em termos gerais em lei.

Ou seja, a regulamentação será feita por projeto de lei.

Já o artigo 6º foi vetado, pois garantia equivalência entre as receitas digitalizadas e aquelas assinadas digitalmente. Isso poderia colocar em risco a saúde da população, visto que as receitas digitalizadas podem ser facilmente fraudadas. Dessa forma, ficam valendo apenas aquelas assinadas digitalmente.

O Conselho Federal de Medicina reconheceu a possibilidade de uso da teleorientação e o encaminhamento do pacientes em isolamento, o telemonitoramento e a teleinterconsulta Dessa maneira, possibilita a troca de informações entre médicos para o auxílio diagnóstico ou terapêutico.

O que é  teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta

Segundo o Ministério da Saúde e o CFM, existem três práticas permitidas neste momento.

  • Teleorientação
  • Telemonitoramento
  • Teleinterconsulta

Entenda o que é cada uma delas.

O que é telemedicina

Teleorientação

Para que profissionais da Medicina realizem à distância a orientação e o encaminhamento de pacientes em isolamento.

Telemonitoramento

É definido como telemonitoramento o atendimento realizado sob orientação e supervisão médica para monitoramento ou vigência à distância de parâmetros de saúde e/ou doença.

Teleinterconsulta

A teleinterconsulta diz respeito exclusivamente para troca de informações e opiniões entre médicos, para auxílio diagnóstico ou terapêutico.

Como implementar a Telemedicina

A princípio pode parecer complexo, porém, o atendimento via Telemedicina não necessita da aquisição de novos equipamentos ou serviços. O atendimento pode ser feito, desde que respeitando a Portaria, ou seja, com consentimento das duas partes – médicos e pacientes.

Os atendimentos podem ser feitos por:

  • telefone;
  • videoconferência.

O mais indicado é a videoconferência, para que o médico possa ver com mais facilidade o estado físico do paciente e fazer avaliações ao analisar, por exemplo, o tom da pele, as condições da garganta e dos olhos.

Algumas ações da Telemedicina podem incluir receitas e atestados médicos e, com essas, é preciso ficar atento a algumas regras:

  • todos os documentos devem estar assinados digitalmente;
  • as assinaturas devem utilizar certificados digitais emitidao pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil.

Passo a passo para a Telemedicina

A implementação é simples. Antes de mais nada, é preciso contar com o consentimento do seu paciente.  

Depois, é só seguir o passo a passo abaixo. 

Verifique se você possui:

  1. Acesso a internet;
  2. Smartphone ou computador com microfone e webcam;
  3. Entre em uma plataforma de videoconferência. Em nosso e-book você conhece 5 ferramenta gratuitas. Acesse e confira;
  4. Preencha o Prontuário Eletrônico do Paciente nas soluções ProDoctor. Você pode acessá-las remotamente de onde você estiver;
  5. Fique atento às novidades e portarias do Ministério da Saúde e do CFM.  O tema é novo e pode ter atualizações constantes. 

Conte com a ProDoctor para lhe ajudar em todos os momentos!

Como implementar a telemedicina

Sobre o material gratuito de Telemedicina

A ProDoctor, ao ver as necessidades e dúvidas de seus clientes e leitores, criou um e-book com várias informações importantes sobre a aplicação efetiva da Telemedicina em sua instituição de Saúde, seja consultório, clínica ou policlínica. Certamente, será de grande ajuda!

Clicando aqui você pode acessar todo o conteúdo informativo que a equipe de especialistas da ProDoctor criou para te orientar, desde pontos mais simples como qual aplicativo de videoconferência você pode usar gratuitamente, até informações importantes como assinatura digital e prontuário eletrônico.

A Telemedicina no Brasil está apenas no início. Então, algumas dessas modalidades e regras podem ser revistas pelo CFM e, com isso, é bom ficar sempre atento aos portais oficiais de informação. E, claro, ao site da ProDoctor.

Você pode se interessar por