Entretenimento Série Sob Pressão - 2ª temporada

7º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

Série “Sob Pressão” - 7º Episódio da 2ª temporada

No capítulo anterior, Drª Carolina erra no diagnóstico de uma criança, promove falsas acusações e seu comportamento nocivo é reacendido. Dr. Evandro, escolhe novos equipamentos para a reabertura do CTI. Em sua primeira cirurgia, Dr. Charles fica feliz e obtém bons resultados no trabalho. No 7º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão, os pais de uma nova paciente recusam procedimentos por motivos religiosos e Dr. Evandro luta para salvá-la. Renata surge com propostas a Henrique.

Saiba as surpresas da nova temporada, clicando aqui. Se preferir, veja (ou reveja) o que aconteceu na primeira temporada da série “sob pressão”.

Capítulos anteriores

Veja o que aconteceu no 7º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

7º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

Nesta terça, 20/11, foi ao ar o 7º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão. Com 44 minutos de duração , a trama dá início em uma confraternização de família no Rio de Janeiro. Com os preparativos para o almoço, o pai organiza a churrasqueira. Tudo que seria festa acaba se tornando momentos desesperadores e de tensões. Ao colocar álcool demais para assar os alimentos, o fogo sobe em excesso e assusta a todos. No exato momento, a filha do casal está pendurada ao muro da cobertura tentando recuperar uma pipa, com a qual brincava. Com o susto pela chama, a menina cai do muro e deixa todos apavorados com o acidente.

Automedicação atrapalha atendimento de Evandro

Em mais um dia de serviço, Dr. Evandro atende aos pacientes no hospital quando é acionado por Drª Carolina para ajudar no acidente ocorrido na laje. A menina chega ao hospital Luís Carlos Macedo, juntamente com a família. Em situações grave com a filha, a mãe implora ao médico para que salve-a.

Direcionada a sala cirúrgica, a equipe médica inicia os procedimentos. Com tremores nas mãos, Dr. Evandro sofre com os efeitos da automedicação. Inseguro para continuar, pede para que a esposa continue realizando a operação em seu lugar. Com a falta de sangue, a cirurgia é interrompida. Dr. Evandro aciona ao grupo para procurar no estoque materiais compatíveis ao tipo sanguíneo da pequena (A+).

Família impede transfusão de sangue

A enfermeira busca as bolsas de sangue para transfusão, como solicitado por Evandro. Ao encontrar a família da menina que aguarda na recepção do pronto-socorro,a profissional é questionada pela mãe sobre o estado da filha.

Em resposta a mãe, a especialista diz que tudo se resolverá e que a quantidade sanguínea necessitada pela garota para cirurgia tem no banco do hospital. Ao saber que a filha irá receber sangue de outra pessoa, o pai impede a enfermeira e relata que a prática não será permitida por conta de seus preceitos religiosos. A família é testemunha de Jeová.

Ao saber do ocorrido, o médico vai ao encontro da família. Em conversa, Dr. Evandro afirma que a única saída para salvar a vida da menina será com a transfusão de sangue.

Salvar a filha x dogmas religiosos

Por seus dogmas religiosos, o pai afirma que não será permitido. Com decisões tomadas, a opção da figura paterna em colocar a vida da filha em risco continua mesmo após a conversa com o doutor. O médico sem entender o posicionamento do homem se exalta e afirma que salvará a garota de qualquer maneira.

Dr. Evandro e Drª Carolina vão ao encontro da líder do hospital e relata sobre o caso. A médica relata que o melhor é acatar a decisão da família, respeitando suas crenças e valores. Ainda sem entender, o médico indignado sai da sala e afirma que não se importará com os preceitos da família e que não deixará sua paciente morrer.

Tendo que tomar uma decisão, a diretora do hospital diz que não colocará o pronto-socorro em risco, e que Evandro deve esperar e se acalmar.

O início de esquemas corruptos

Um novo paciente dá entrada ao hospital de emergência, um mendigo que foi espancado por seguranças de um shopping carioca. No banheiro, alucinações e tremedeiras voltam a acontecer com Evandro. O médico tenso com a carga de trabalho, continua se automedicando.

No almoxarifado, os doutores Samuel e Henrique confere a chegada dos novos materiais. Ao verem objetos sem necessidades, questionam a gestora o porquê da compra de equipamentos caros e sem urgência para o lugar.

Jaqueline (enfermeira) cuida do mendigo e tenta obter mais informações do que ocorreu com o homem.

Oposições e conflitos no Macedão

Com pouco tempo de vida, o estado da jovem piora. Dr. Evandro afirma a Carolina que a transfusão será necessária para manter a menina viva. Seguindo para a sala de Renata, o médico encontra com Dr. Murilo (Advogado da família) que fortalece as crenças de seu cliente e diz que não será permitido realizar a transfusão.

Os ânimos se exaltam e em contrapartida as afirmações do advogado, Dr. Evandro afirma que será necessário o procedimento e que irá fazer, mesmo sem a aceitação da família. Murilo sai da sala e afirma que processará o médico, a diretora e o hospital caso a transfusão aconteça. Carolina pede ao médico para que se acalme e que a deixe falar com a família uma última vez.

Mudança de ideia e confiança na medicina

Em conversa com a família, palavras singelas e amorosas de Carolina tocam o coração da mãe da menina. Vendo que não há outra decisão a se tomar, a mulher entra em conflito com o marido e afirma que pretende ver a filha viva.

A mãe encontra com Carolina e Evandro que observava a conversa do casal. Em tom positivo a mulher autoriza e detém de suas crenças religiosas para confiar na única alternativa possível para salvar a jovem.

Com a autorização a menina recebe o sangue e começa a cirurgia. Ao terminar, Dr Evandro e Drª Carolina vão ao encontro da mãe e relatam que tudo ocorreu bem. A garota não corre mais risco de vida.

Renata corrompe Dr. Henrique para superfaturamentos

A líder do hospital encontra com Dr. Henrique e questiona ao médico o porquê das indagações com os materiais no almoxarifado. O médico diz que sabe dos investimentos de Renata e do ato ilegal. A gestora tenta convencer o profissional sobre o faturamento e comissões em cima dos equipamentos. Com a proposta, Henrique pensa no ato corrupto dentro do pronto-socorro e se juntará ao esquema estabelecido.

Chega a hora da operação do mendigo. Dr. Henrique decide em colocar as novas próteses que chegaram ao hospital. Com a decisão, as propostas feitas pela diretora são confirmadas e o laço é fechado.

Ao saber das escolhas tomadas pelo médico em utilizar um material sem necessidade, Samuel questiona Renata que afirma: “As coisas mudaram e você não é mais o chefe daqui”.

Com o novo acordo entre a executiva e Dr. Henrique os dois conversam sobre os esquemas de corrupção e o médico recebe sua primeira comissão. Renata afirma que com os dois se apoiando e trabalhando juntos irão faturar muito.

O ex-diretor decide comentar com Dr. Evandro. Antes mesmo de relatar ao médico, inesperadamente, passa mal com o grande número de medicamentos que vem ingerindo. Preocupado com a descoberta por Carolina, implora ao amigo para que não conte nada a amada.

Momento de emoção e comoção

Na sala de observação, Jaqueline não encontra com o mendigo. O homem está desaparecido dentro do hospital. Misteriosamente, o paciente em uma ala isolada desenha na parede do lugar.

Após a procura, a enfermeira o encontra e chama Carolina, a médica estava do lado de fora conversando com o pai da menina. Ao chegar na sala abandonada, se deparam com o desenho feito pelo homem. Na parede a família, a transfusão de sangue e a vida da garota são retratados.

A união graças ao desenho

Após a comoção pelo desenho, o pai chega ao quarto para ver a filha que já o procurava. A família se une novamente e se emocionam com um lindo gesto de amor.

Desaparecido por muitos anos, o mendigo é procurado por seu irmão Pedro que chega ao hospital. Após Jaqueline postar uma foto do desenho nas redes sociais, o familiar reconheceu os traços artísticos do irmão. Graças a postagem, o encontro entre os dois foi possibilitado.

Drogas e problemas na vida do médico

Evandro descansa no hospital e é encontrado por Carolina na sala dos profissionais de saúde. Ao chegar para mais um plantão a médica chega ao esposo que está dormindo e tenta acordá-lo para descansar em casa. Pegando em sua mão encontra os remédios que o marido vem tomando e se choca.

Logo depois, Carolina se encontra com o marido já acordado e o questiona se ele voltou a se drogar. Em resposta a esposa, o doutor mente e nega a situação a médica dizendo que ela não precisa se preocupar.

No episódio, a série alerta sobre a doação de sangue. Doe sangue e ajude a salvar vidas. Procure o Hemocentro mais próximo.Saiba mais clicando aqui.

Episódios disponíveis no Globo play.

Você pode se interessar por