Entretenimento Série Sob Pressão - 2ª temporada

4º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

4º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

No capítulo anterior, uma nova emergência adiou os planos românticos de Carolina e Evandro. Décio pensava em adotar o bebê abandonado e um policial baleado deu entrada ao pronto-socorro. No 4º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão, o pai de Carolina volta a trama e ela fica espantada, porque até então, ele estava na cadeia. Além disso, uma paciente transgênero é atendida por Dr. Décio e tem um desfecho emocionante!

Saiba as surpresas da nova temporada, clicando aqui. Se preferir, veja (ou reveja) o que aconteceu na primeira temporada da série “sob pressão”.

Capítulos anteriores

Veja o que aconteceu no 4º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

4º Episódio da 2ª temporada da série Sob Pressão

O 4° episódio da série médica da rede globo “Sob pressão”, foi ao ar ontem, terça, 30/10. De volta da lua de mel, Carolina e Evandro retornam ao hospital em meio a problemas. Com a falta de infraestrutura do Hospital Luís Carlos Macedo, uma das salas de cirurgia do lugar está sem energia elétrica. Com o ocorrido, o diretor do hospital Samuel, se preocupa e afirma a equipe médica que as condições físicas e financeiras do pronto-socorro são as piores.

O retorno do pai de Carolina

De volta ao seu ambiente de trabalho, Carolina chega à recepção quando é avisada que está sendo procurada por um paciente. Disposto a ser atendido apenas pela médica, ela se direciona ao encontro do homem misterioso. Sentado e de costas para a profissional, a médica fica abalada quando descobre que o paciente à sua espera é seu pai. Espantada, a Doutora questiona o que o homem faz em seu emprego e se fugiu da cadeia. O pai estava preso por problemas que envolve a filha no passado, retratados na primeira temporada da série. O homem relata a filha que teve boa conduta e por isso foi liberado pelo juiz.

Indignada pelo reencontro com o pai, a médica tenta seguir sua rotina no hospital. Um novo paciente dá entrada ao pronto-socorro. Correndo grandes riscos de vida, chega ao lugar um bandido que acaba de ser baleado. A equipe providencia o atendimento às pressas da vítima quando a polícia chega em busca do criminoso. Na obtenção de salvar o rapaz, Drª. Carolina afirma que ninguém vai tirá-lo de dentro do hospital.

Atendimentos movimentam o hospital

Na sala de cirurgia, Drª Carolina está com a vítima baleada e Dr. Evandro se preocupa com a esposa, uma vez que, ela não está bem após rever o pai. Em estado grave, o paciente implora a médica para que não o deixe morrer, afirma ter uma filha e que precisa cuidar dela.

Dr. Décio atende uma nova paciente que dá entrada ao pronto-socorro com infecções nas próteses. A paciente transgênero preocupa o profissional de saúde, visto que as próteses em seus seios foram colocadas em uma clínica clandestina, com silicone industrial.

A equipe da Secretaria de Saúde (SS), Roberto e Renata, chegam ao hospital. Para uma vistoria, o casal é recepcionado pelo diretor que explica as situações e problemas evidenciados no ambiente.

Conflitos entre Carolina e o pai

Na saída do consultório, Carolina se depara novamente com o pai. Desesperada a médica briga com ele e declara que nunca mais quer vê-lo. Em direção ao vestiário do hospital, a médica se apavora e tenta se mutilar, problemas já enfrentados pela personagem na  primeira temporada. No ato, Carolina é impedida por Charles que a chama para rever o caso do paciente baleado.

Saindo do hospital, o pai de Carolina é seguido por três homens no centro da cidade. Os rapazes aborda-o e pergunta se ele é o pai da médica do “Macedão” (apelido do hospital de emergência). Em resposta positiva à pergunta, os homens começam a bater no idoso relatando que irão destruir a vida dele como fez com a da filha.

Em estado grave, o homem é direcionado para o hospital quando Evandro e Carolina caminham até a ambulância e se deparam com o pai da médica. Inconformada com a situação, a Doutora pede a Evandro para entrar na sala cirúrgica junto a equipe. Em busca de soluções ela decide ajudar na operação, porém é barrada pelo marido.

Conselhos a paciente trans

Os médicos iniciam a retirada das próteses da paciente. Com as salas de cirurgias em problemas, o procedimento é realizado a um consultório qualquer. A equipe da SS chega ao local da cirurgia no momento e se choca com a inferioridade do hospital. Samuel afirma que o lugar precisa de ajudas imediatamente para que situações como essas não volte a acontecer.

Após os procedimentos, a paciente trans acorda e Dr. Décio explica que ela teve Sepse. Uma doença também conhecida como infecção generalizada ou septicemia, é uma condição de emergência de saúde potencialmente fatal. Acontece quando um quadro de infecção agravado, fazendo com que o organismo não consiga controlá-lo.

Em conversa com o médico, a jovem relata que também faz a indução de hormônios femininos por conta própria. Aconselhando-a, Dr. Décio relata que o SUS (Sistema Único de Saúde) disponibiliza o atendimento gratuito a casos como o dela.

A jovem trans, menor de idade, tenta ser convencida pelo médico a procurar os pais e realizar o acompanhamento hormonal e seguro pelo SUS. Sem a maioridade, ela precisa ser autorizada pelos responsáveis.

Em conversa com o profissional, a enfermeira Jaqueline sugere ao médico a relatar a jovem como ele se assumiu aos pais. Com um testemunho, a ideia da trans pode mudar e ela pode procurar os pais. Porém para a surpresa de Jaqueline, Décio ainda não se assumiu para a família.

Emoções na sala de cirurgia

Carolina vai a sala do bandido baleado questionando ao paciente que ele não tinha o direito de mandar os homens espancar ao pai. Após ouvir uma conversa de Evandro e a médica, o homem internado diz que resolveu fazer vingança em nome da mulher pelo familiar ter destruído sua vida e ela ter salvado a dele.

Desesperada com as afirmações do homem, Carolina segue para a capela do hospital, onde chora e é consolada pelo amigo Samuel.

Na sala cirúrgica, Evandro e a equipe médica operam o pai de Carolina. Com resultados negativos, o doutor não vê muitas soluções para as complicações do idoso. A filha observando pela porta, entra na sala e resolve ajudar a situação grave do pai. Desesperada, vendo que ele não obtendo reações, se apavora. O pai da médica não resiste e morre.

A  jovem trans se abre com os pais

Os pais de Jamily – a jovem trans, chegam ao hospital em busca de respostas da filha. Ao encontro dela, o casal fica surpreso ao encontrar as mudanças na identidade de gênero da paciente. Questionada, Jamily afirma que é trans, e que necessita da ajuda dos pais. O pai Alexandre, indignado com a situação afirma que a filha é o maior desgosto de sua vida.

A jovem pede a autorização dos pais para conseguir o acompanhamento seguro da aplicação dos hormônios femininos. O pai não aceita e sai do hospital. O estado de Jamily piora, entre a vida e a morte a trans passa por complicações em seu estado. Dr. Décio aciona Jaqueline que consegue resolver a situação.

De volta ao hospital, o pai da jovem volta para buscar a esposa. Contrariado, a mãe decide ficar e acompanhar a filha. Tempos depois, Jamily conversa com a mãe que a dá todo o apoio necessário. Dr. Décio explica para dona Silene que a única forma da filha fazer o tratamento de forma segura é com a autorização de um de seus responsáveis. Em um gesto de amor, a mãe autoriza os procedimentos. Mãe e filha marcam a cena com emoção e ternura.

Dr. Décio se releva para a mãe

Em casa, Dr. Décio conversa com a mãe a respeito da falta que sente do bebê de Jeize. Questionando o médico, a mulher afirma que não vê a hora de ganhar um neto. O médico relata a mãe que ele não vai se casar com uma mulher. Respondendo ao filho, a mãe declara que já sabe disso e que sabe de sua orientação sexual. Surpreso, Décio pergunta a quanto tempo a mãe sabe e ela afirma: “Já faz tempo meu filho, eu sou sua mãe”. Confortado, o médico se emociona e é abraçado pela mãe.

Reviravoltas no hospital

De volta ao hospital, Roberto (representante da SS) conversa com Samuel – diretor do hospital. O homem diz trazer boas notícias ao lugar, porém reviravoltas irão acontecer. Em busca de mudanças das gestões dos hospitais do Rio, Roberto disse que libera a verba para o pronto-socorro apenas se uma nova liderança assumir o ambiente. Espantado com a notícia, Samuel descobre que Renata (SS) será a nova líder do Luíz Carlos Macedo.

A trama se encerra aos 44 minutos, com Carolina desolada pela morte do pai. Com a situação, a jovem que se mutila, vai para uma sala e resolve fazer a ação. Desta vez, não em seu corpo e sim em uma porta do hospital.

Em torno de todo o episódio, a série alerta sobre a Transfobia. O ato preconceituoso é crime. Em situações como essas disque 100 e denuncie. Saiba mais clicando aqui.

Episódios disponíveis no Globo play.

Você pode se interessar por