Tecnologia na Medicina

Inteligência artificial aplicada na medicina

Conheça sobre a inteligência artificial e suas aplicações na área médica

A inteligência artificial (artificial intelligence – A.I) é um segmento de pesquisa que vem ganhando cada vez mais força e espaços. É um ramo da ciência da computação que se ocupa em desenvolver mecanismos e dispositivos tecnológicos que possam simular o raciocínio humano, adotando a inteligência que é característica dos seres humanos.

Com a inteligência artificial, o objetivo dos estudos visa fazer com que os computadores possam “pensar” como os indivíduos. O conceito para aderir ao novo modo de criação de análises, raciocínios e a compreensão e obtenção de respostas para diferentes situações, semelhantes a atividades já realizadas por nós.

Indo além do ponto de vista cognitivo, outra grande exploração da IA é a possibilidade de fazer com que a criatividade, emoções e sentimentos humanos também possam ser reproduzidos pelas máquinas. Com os avanços das análises na área, resultados significativos já começam a surgir e se integrar ao cotidiano.

Com funciona a Inteligência Artificial?

De acordo com o site Significados, a união de várias tecnologias constrói o desenvolvimento do sistema, com destaque para três fatores principais:

  • Máquinas com grande potência de processamento;
  • Modelos de dados otimizados (capazes de analisar e processar informações de modo inteligente);
  • Grande quantidade de informações para alimentar modelos.

Dentre as funções citadas acima, também existem leis que os desenvolvedores dos softwares devem seguir para evitar que a plataforma virtual execute ações inesperadas. Os parâmetros foram criados com bases nas Leis da Robótica ou “Leis de Asimov”. Entre alguns princípios, são elas:

  • Restrição de conhecimento: Impõe um limite ao que a inteligência artificial pode aprender e executar;
  • Proibido se autorreplicar: Impede que o programa se reproduza, ou seja, que gere cópias de seu software de modo independente;
  • Proibição de interação: Impede que a IA mantenha contato com pessoas não autorizadas para se comunicar com elas;
  • Ordem: Obedece todas as ordens que o programador foi inserido no sistema, mesmo que isso inclua a autodescrição do dispositivo.

Pontos como esses são eficazes para limitar a área de atuação e participação da IA, evitando que ela seja capaz de executar ações que foram aprendidas, porém que não se enquadre ao propósito estabelecido.

Dica de leitura: Saiba mais sobre Cyborg

Vantagens da Inteligência Artificial

A todo vapor, a globalização continua apresentando mecanismos que facilitam a vida e aderem praticidade a sociedade. Com pesquisas de modo mais rápido e com poucos erros, a vida com a inteligência artificial pode se tornar mais dinâmica. Dispositivos com a ferramenta serão úteis para substituir em alguns caso ações humanas, como em locais de difíceis acessos.

IA na vida real e na ficção

Como citamos acima, as aplicações na vida real são diversas. O mundo tecnológico já é desenvolvido a partir desse dispositivo com jogos, programas de computador, aplicativos de segurança para sistemas informacionais, robótica (robôs auxiliares), dispositivos para reconhecimentos de escrita a mão e voz, programas de diagnósticos médicos e muito mais.

A indústria cultural também já se interessa pelo tema, a inteligência artificial é um dos assuntos recorrentes em histórias de ficção científica. O enredo é presente em filmes, livros, documentários e até desenhos animados. O russo Isaac Asimov é destaque nesta área, autor de histórias como O Homem Bicentenário e Eu, Robô, ambas com adaptações para o cinema. Outra história de sucesso nas telas, foi AI: Inteligência Artificial (2001) dirigido por Steven Spielberg.

IAM: a inteligência artificial aplicada na medicina

IAM: a inteligência artificial aplicada na medicina

A medicina e a ciência da computação nunca estiveram tão interligadas. Os profissionais das respectivas áreas estudam novos métodos para criar plataformas de pesquisas no melhoramento da IAM ( Inteligência Artificial em Medicina).

Com softwares de gestão, os médicos foram atraídos pela inteligência e a capacidade dos meios tecnológicos para processar números grandes de informações. A influência positiva da IA sob a medicina se faz presente na obtenção de diagnósticos e outras coisas. A função no sistema está na capacidade de aprender sozinho e quando um médico não concorda com as sugestões fornecidas, a máquina entende que há outras possibilidades e isso vai se moldando.

Segundo o professor da USP (Universidade de São Paulo) Alexandre Chiavegatto Filho, acreditava-se que as maiores transformações na medicina iriam ocorrer com o uso de robôs nos corredores ou salas cirúrgicas. “O grande avanço, porém, são os sistemas que reconhecem padrões em enfermidades e oferecem aos médicos elementos que o ajudem na tomada de decisão.”

No hospital Israelita Albert Einstein, SP, já possui aparelhos de imagens capazes de identificar problemas e enviar uma notificação para o operador da máquina, sem nenhuma intervenção humana. Outros exemplos, são equipamentos que mandam sinais vitais do doente como batimentos cardíacos direto para o prontuário médico. A tecnologia está acoplada a rotina dos paciente. Diabéticos recebem mensagens no celulares, elaboradas por robôs lembrando-os a hora certa de tomar a insulina.

Dica de leitura: Google usa inteligência artificial para detectar doenças nos ohos

5 aplicações da inteligência Artificial na Medicina

Dentro dos consultórios e clínicas diversas formas da AI vem sendo aplicadas na saúde. Atualmente, as principais máquinas trabalham com algoritmos que são criados para analisar dados, auxiliar na recomendação de tratamentos e nos diagnósticos de doenças. Conheça cinco ações onde a IAM possa acrescentar para sua empresa.

1- Tratamento de doenças

Para o tratamento de doenças o aproveitamento de conteúdos da literatura científica, dados genéricos e clínicos do paciente ajudam nas melhorias dos procedimentos. Neste caso, a máquina não diz exatamente qual o caminho deve ser tomado, mas mostra todos os passos indicados para cada caso.

Ainda é possível conferir os efeitos colaterais e o grau de risco de cada alternativa. A vantagem desse mecanismo é recorrer, como auxílio, às inúmeras combinações de medicamentos. Os especialistas podem ainda optar pelas práticas mais seguras e indicadas oferecendo maior qualidade de vida aos pacientes.

2- Precisão nos resultados de exames

Como já mostramos aqui no blog, o uso das ferramentas tecnológicas nos hospitais já é realidade, como em casos de exames radiológicos. A tecnologia facilitará o melhor acesso ao exame diminuindo, consideravelmente, os custos. Desta forma, o programa consegue fazer uma grande visualização fazendo com que os pacientes não precisem realizar mais de um exame em locais e procedimentos diferentes.

3- Associação de sintomas

Para se obter um diagnóstico preciso, a associação de sintomas vem sendo utilizada pela IA. Com ela se torna possível identificar complicações como a retinopatia diabética – causada pela diabetes e que afeta a visão. O utensílio observa as fotografias da retina do paciente e as compara com as imagens de seu banco de dados. O objetivo é encontrar algum problema a partir das comparações das imagens. De acordo com a enfermidade e o histórico do paciente, também há novas possibilidades de fazer associações entre os sintomas.

4- Armazenamento de dados

A IA pode ajudar nos segmentos do seu consultório/clínica, como armazenar e recuperar dados por meio da nuvem. Ao ter online seus laudos, evoluções e prontuários o profissional terá maior organização no trabalho facilitando ainda o acesso e a proteção dos dados.

Além disso, com os arquivos online, também será possível acessar imagens de forma remota. Radiologistas, por exemplo, terão maior praticidade e instantaneidade a emitir laudos de qualquer lugar e a qualquer hora.

5- Alertas

As pesquisas vêm sendo desenvolvidas e trabalhadas para alertar o médico, em tempo real, sobre as mudanças no quadro do paciente. A ideia passa a ser feita por meio de um programa conectado aos monitores da máquina, enviando alertas aos profissionais em situações de emergência. Portanto, a ferramenta apresenta maior praticidade e uma melhor relação entre médico e paciente.

Vale ressaltar, que com as vantagens significativas pelos médicos é fundamental que se utilizem a tecnologia com cuidado, ética e humanização. De olho nas inovações tecnológicas, os profissionais de saúde poderá perceber que acompanhar o desenvolvimento de pesquisas ou tratamentos para que, assim, proporcionem um atendimento seguro e eficaz à população.

 4ª revolução industrial

 4ª revolução industrial

A 4ª revolução industrial ou Indústria 4.0 é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados empregando conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas e Computação em Nuvem. A inteligência artificial é um dos investimentos que contempla essa nova era com uma série de algoritmos específicos.

O mercado está direcionando o olhar para a IA e suas aplicações que simplificam o dia a dia. Dentro da medicina a tendência é grande, um avanço nas evoluções nos consultórios e clínicas. Adotar a tecnologia no momento atual, é caminhar com a modernidade e trazer o que a de melhor para seu consultório e paciente.

Dica de leitura: ProDoctor Cloud: Software para a gestão de Consultórios Médicos

Você pode se interessar por