Aplicativos para médicos e pacientes Datas Comemorativas da Saúde

Dia Mundial da Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) celebra todos os anos, na data de 7 de abril, em comemoração à sua constituição, o Dia Mundial da Saúde. O principal objetivo do evento é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter uma melhor qualidade de vida.

A comemoração desta data pela OMS iniciou-se em 1948, devido à preocupação dos seus integrantes em manter o bom estado de saúde das pessoas em todo o mundo. Além disso, tem como meta alertar sobre os principais problemas que podem atingir a população mundial.

Neste Dia Mundial da Saúde de 7 de Abril 2021, a proposta pauta-se na construção de um mundo mais justo e saudável. 

Dia Mundial da Saúde: para um mundo mais justo

Para a conscientização de um mundo mais justo em relação à saúde, o dia 07 de Abril de 2021 é tratado como uma oportunidade de comunicação sobre a importância da equidade nos serviços de saúde, não apenas para a saúde dos indivíduos, mas também para a saúde das economias e da sociedade como um todo.

A pandemia do Covid-19 realçou as desigualdades entre países. Em um contexto de escassez de abastecimentos essenciais, os países africanos foram colocados no fim da fila em termos de acesso a kits de teste à Covid-19, a Equipamento de Proteção Individual e, agora, a vacinas. Dos 548 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 administradas em todo o mundo, apenas 11 milhões, ou 2%, foram realizadas na África, enquanto o continente representa cerca de 17% da população mundial.

Na intenção de inverter esta tendência, precisamos agir em relação aos determinantes sociais e econômicos da saúde, levando a cabo uma ação multisectorial para melhorar as condições de vida e de trabalho, e o acesso à educação das populações.


As comunidades devem ser envolvidas nesta iniciativa como parceiros, recorrendo nomeadamente às suas redes e associações para definir e implementar intervenções de saúde e de desenvolvimento. Por isso, é importante ressaltar que a saúde é um bem comum que deve ser justo e acessível para todas as pessoas. 


Leia também:
LGPD para Médicos


Dia Mundial da Saúde: por um mundo mais saudável

Ideias para promover o seu consultório/clínica neste final de ano

Deve-se estimular hábitos alimentares saudáveis, tendo como um dos norteadores o Guia alimentar para a população brasileira disponibilizado pelo Ministério da Saúde.

Neste Guia, os pratos são preparados com ingredientes nutritivos, com qualidade e variedade, sob supervisão de nutricionistas, conforme as Boas Práticas preconizadas pelo Sesc. Assim, é uma ótima referência para a população criar hábitos mais saudáveis.

Os cardápios são planejados priorizando alimentos “in natura”, minimamente processados e a valorização da cultura alimentar regional, com uma proposta de comida caseira, proporcionando alimentação saudável e com preço justo para todos.

Veja alguns passos para uma alimentação adequada e saudável contidas no “Guia alimentar para a população brasileira”, do Ministério da Saúde:

  • Prefira sempre alimentos “in natura” ou minimamente processados;
  • Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades;
  • Limite o consumo de alimentos processados;
  • Evite alimentos ultraprocessados, que são aqueles que sofrem muitas alterações em seu preparo e contêm ingredientes que você não conhece;
  • Coma regularmente e com atenção. Prefira alimentar-se em lugares tranquilos e limpos e na companhia de outras pessoas;
  • Faça suas compras em locais que tenham uma grande variedade de alimentos “in natura”. Quando possível, prefira os alimentos orgânicos e agroecológicos;
  • Desenvolva suas habilidades culinárias. Coloque a mão na massa, aprenda e compartilhe receitas;
  • Planeje seu tempo. Distribua as responsabilidades com a alimentação na sua casa. Comer bem é tarefa de todos;
  • Ao comer fora, prefira locais que façam a comida na hora; e
  • Seja crítico. Existem muitos mitos e publicidade enganosa em torno da alimentação. Avalie as informações que chegam até você e aconselhe seus amigos e familiares a fazerem o mesmo.

Segundo o Art. 196 da Constituição Federal de 1988, “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”

Lembrando que: garantir a saúde não é apenas investir em clínicas, consultórios e hospitais e oferecer medicamentos para os doentes. Para se investir corretamente em saúde deve-se garantir saneamento básico para todos, levar educação de qualidade para que todos possam estar informados a respeito dos riscos de determinadas ações, garantir alimentação de qualidade e, principalmente, promover qualidade de vida. 

Como a Telemedicina pode ajudar os seus pacientes

Enquanto hospitais que tratam doenças infectocontagiosas, como a Covid-19, estão cheios, a demanda por leitos clínicos em outras especialidades teve queda de mais de 50% no Brasil. 

Basicamente, os pacientes têm abandonado os seus tratamentos por medo e receio de se expor em unidades médicas com o risco de contaminação pelo vírus.

Um exemplo disso pode ser visto nos dados da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO), que estimam que milhares de diagnósticos de câncer deixaram (ou deixarão) de serem feitos no País nos últimos dois meses e nas próximas semanas; possivelmente até 50 mil casos deixaram (ou deixarão) de serem diagnosticados.

Outro exemplo é o do Instituto do Câncer do Estado de SP, que informou que o número de pacientes novos já caiu 30%. O hospital A.C. Camargo, também em SP, registrou ainda redução de 65% no número de novos pacientes, de até 87% em exames diagnósticos e de mais de 50% nas cirurgias na comparação entre abril deste ano e de 2019.

Atendimentos via Telemedicina podem gerar mais confiança nos pacientes e melhorar a retomada dos atendimentos e tratamentos de doenças que precisam ser tratadas para evitar o agravamento. 

Benefícios do atendimento via Telemedicina

Além da pandemia do novo Coronavírus ter impulsionado novas tecnologias para o crescimento dos atendimentos via Telemedicina, o crescimento da assistência à distância está relacionado aos muitos benefícios que ela oferece. 

Conheça alguns que merecem a atenção: 

1. Flexibilidade e acessibilidade nos atendimentos

Devido aos recursos digitais, é possível garantir assistência básica a pacientes de qualquer lugar do mundo. Até mesmo os laudos de exames e pedidos de medicamentos, por exemplo, podem ser feitos com o envio de informações de modo digital. 

2. Economia de tempo para o médico e paciente

O fato de tudo acontecer online e à distância permite que a clínica ou consultório médico tenha uma estrutura reduzida e diminua os gastos, como por exemplo, ocupando um espaço menor.

Também é possível economizar tempo no atendimento, já que não é preciso lidar com os atrasos de pacientes.  

3. O trabalho continua mesmo durante uma crise 

Pessoas ficam doentes e necessitam de ajuda médica a todo o momento. Com a Telemedicina você pode manter as suas consultas normalmente, sem deixar de cobrar pelo seu serviço, mesmo durante uma crise como a pandemia do novo Coronavírus.

Assim, a sua clínica médica ou consultório continua atendendo os pacientes mesmo em períodos de isolamento social.

Quer saber como a Telemedicina funciona? Aqui temos um material gratuito que vai te ajudar a entender melhor esta tecnologia e mostrar como você poderá aplica-la em sua clínica ou consultório médico.

Você pode se interessar por