Blog

Boas práticas médicas nas redes sociais

Boas práticas médicas nas redes sociais


Os alertas sobre riscos do mau uso da Internet são permanentemente objeto de matérias em rádios, jornais e televisões. Na própria internet, os avisos e conselhos são compartilhados junto a histórias de pessoas que tiveram suas imagens arranhadas por algum vacilo ou ato impensado. Da mesma forma que qualquer profissional, o médico também tem um nome pelo qual deve zelar e uma ética a ser respeitada.


Profissionais de saúde nas redes sociais


As regras mínimas de conduta no mundo virtual valem para todos, mas no caso do profissional da Medicina há um adendo especialíssimo e delicado, pois envolve a vida de outras pessoasNão se pode expor a outros o procedimento utilizado com determinado paciente, o estágio de alguma enfermidade que ele possua.


O que diz o código de Ética Médica


Neste sentido, a etiqueta é regida por um Código de Ética Médica, que coíbe revelar casos clínicos que possam ser identificados, ainda que com aquiescência do paciente. Os possíveis deslizes cibernéticos podem ser ainda mais graves e resultar na cassação do registro profissional. Em seu artigo 75, o Código de Ética Médica prescreve uma norma que proíbe o médico de “Fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir pacientes ou seus retratos em anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos médicos, em meios de comunicação em geral, mesmo com autorização do paciente”


Relacionamento médico-paciente na internet


A recomendação, em caso de uma abordagem de pacientes através do Facebook ou do Twitter, por exemplo, é que suas palavras sejam de cunho estritamente educacional e no sentido de esclarecer dúvidas. O atendimento, é bom relembrar, está reservado para o consultório.


Também é importante destacar que um relacionamento de amizade online com o paciente pode levar à perda da vida privada do médico, com uma superexposição que pode derivar em situações que configurem violação aos limites profissionais. Por isto, é preciso ter controle e poder de decisão sobre quem pode ou não ter acesso às suas informações nas mídias sociais.


Você pode usar mídias sociais especializadas, possuir um perfil profissional e pessoal em uma mesma mídia social ou utilizar ferramentas de controle de privacidade nas publicações.


Dicas de cuidado com sua imagem profissionais


Inúmeros conselhos recheiam páginas na Internet, com recomendações que chamam atenção para o cuidado com a imagem profissional. Por exemplo:



  • Escolha com cuidado os amigos que integrarão sua rede, priorizando a qualidade das pessoas em vez da quantidade.

  • Quando escrever algo, procure abordar temas úteis, não ser repetitivo e apenas mais um a falar sobre determinado assunto. Para se destacar, é preciso ter um diferencial, com postagens inteligentes, em que tenha conhecimento, com amplo domínio para dialogar quando necessário e argumentos para defender seu ponto de vista. Reflita muito sobre o que escreveu, analisando pontos positivos e negativos, observando de que forma poderão influenciar na sua vida profissional. De novo: o que você escrever pode ser compartilhado em segundos, não se apaga, e o compartilhamento não poderá mais ser controlado.

  • Mostre suas ações que se traduziram em conquistas, mas evite fazer de seus projetos aprovados e títulos alcançados um exercício de egolatria, algo que pode ser interpretado erroneamente, como se fosse mera autopromoção e arrogância. Caso faça marcações de pessoas, procure ter antes a devida autorização.

  • Não se perca em debates vazios e fúteis, simplesmente porque tem opinião sobre qualquer outro tema, principalmente polêmicos. Pense duas vezes, controle sua ânsia de “revidar” o pensamento com o qual não concorda, pois futuramente poderá ver que agiu corretamente ao evitar um confronto inútil.

  • Ter o mesmo cuidado quando for “curtir” ou “compartilhar” determinada notícia, comentário, foto ou artigo e participar de comunidades. É preciso estar atento e evitar as postagens que disseminam ódio e preconceito, notadamente quando estes não se manifestam de forma clara. E confira também a veracidade da informação que você esta compartilhando.

  • Evite a super exposição desnecessária. Da mesma forma que as pessoas devem se resguardar nas festinhas do pessoal da empresa no Natal, é preciso ter cuidado com a divulgação de fotos pessoais em baladas. Uma simples imagem inadequada pode ser compartilhada e estragar não apenas o dia, mas comprometer a imagem profissional e sua carreira.


É sabido o poder que as redes sociais possuem, por isso precisamos ter conhecimentos específicos para usá-las da melhor maneira possível e obter todos os benefícios e vantagens que elas oferecem. Os médicos e as clínicas precisam estar presentes, saber o que o seu público esta pensando, como estão agindo, quais são seus interesses.


Quando esses não dispõem de tempo ou conhecimento para gerenciarem corretamente seus perfis, recomendamos que recorram a empresas especializadas na gestão de marketing e mídias sociais na área da saúde. Essas empresas possuem todas as expertises necessárias para cuidar da sua imagem no mundo digital.


Rede social destinada para Médicos


Um canal bastante interessante na Internet tem como objetivo promover a interação entre os profissionais da Medicina. Trata-se do Ology, rede profissional exclusiva para médicos criada em 2013 por “apaixonados por tecnologia e pelo seu impacto na área da saúde” com a missão de “melhorar a qualidade da assistência médica no Brasil, conectando médicos e aumentando o acesso ao conhecimento especializado”.


Com o objetivo de ajudar os profissionais a participar ativamente deste novo cenário, a Ology uniu-se ao escritório referência em Direito Digital, Patrícia Peck Pinheiro, para desenvolverem o guia “Melhores Práticas para Médicos nas Redes Sociais”. Nele, os médicos encontram orientações e dicas para utilizarem as redes sociais de maneira ética, sem violar os preceitos do Conselho Federal de Medicina.




Compartilhe