O que é Saúde 4.0 e qual o seu objetivo? - Blog ProDoctor
Tecnologia na Medicina

O que é Saúde 4.0 e qual o seu objetivo?

saúde 4.0

A Saúde 4.0 não tem como objetivo tratar doenças, uma vez que está diretamente ligada à prevenção das enfermidades e ao bem-estar físico e mental de cada paciente. O atendimento individual e preciso, utilizando todos os benefícios das inovações tecnológicas disponíveis, é considerado hoje a verdadeira revolução na Medicina.

Diante da importância desse tema, a ProDoctor Software elaborou este post para que você acompanhe todos os detalhes que envolvem a Saúde 4.0. Confira cada um dos itens a seguir:

  • Conceito de Saúde 4.0
  • A Saúde 4.0 conforme a Organização Mundial da Saúde
  • Saúde 4.0 no Brasil
  • Desafios
  • Importância
  • Principais Tecnologias da Saúde 4.0
  • Como fica sua carreira?
gadgets para médicos

Conceito de Saúde 4.0

O conceito de Saúde 4.0 abarca a união da Tecnologia aplicada à Saúde. Engloba, por exemplo, a utilização cada vez maior e em velocidade geométrica de softwares de gestão, da computação em nuvem (cloud computer), da Internet das Coisas (Internet of ThingsIOT), dos mecanismos automatizados e de inúmeros outros Tudo isso disponibilizado para os médicos cada vez mais antenados nos recursos, tanto em smartphones quanto nos dispositivos vestíveis.

Entretanto, é importante ressaltar que a Saúde 4.0 tem como objetivo central a busca da prevenção, a fim de promover o bem-estar e uma melhor qualidade de vida para a população, e não tratar e remediar as enfermidades. Com toda a certeza, hoje pode se afirmar que esta é a verdadeira revolução em termos de Saúde.

Um dos fatores que tem colaborado muito para essa realidade é o nível de popularização que tem sido alcançado, como resultado não apenas com o advento das novas tecnologias, como também da acessibilidade alcançada por diferentes segmentos da sociedade.

Só para ilustrar: a Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde – ABIIS, enfatiza que a Saúde 4.0 considera como um conceito fundamental a integração da Tecnologia da Informação (TI) com a manufatura e o setor de serviços, englobando o atendimento online e logística, na área da Saúde.

Conforme a ABIIS, a expansão dos recursos móveis da área de Saúde pode melhorar bastante o atendimento aos pacientes na atenção básica, reduzindo os deslocamentos e o uso intensivo de médicos.

A Saúde 4.0 conforme a Organização Mundial da Saúde

Esta é a conceituação da Organização Mundial da Saúde : “Saúde 4.0 é o campo do conhecimento associado com o desenvolvimento e uso de novas tecnologias para melhorar a saúde. A Saúde 4.0 expande o conceito de e-Saúde para incluir consumidores digitais, abrangendo smart-devices e equipamentos conectados à internet. O conceito também abrange outros usos da Tecnologia na Saúde, como a Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA), Big Data e Robótica.

Conforme o documento da OMS, a Saúde 4.0 tem como principais metas:

  • Trabalhar como braço auxiliar na elaboração de Políticas Públicas de Saúde, não só a nível regional, como também nacional. A fim de se chegar a essa realidade, destaca a importância da utilização dos meios tecnológicos disponíveis de uma maneira segura e dentro dos parâmetros da Ética.
  • Proporcionar condições que facilitem o melhor cuidados dos pacientes.
  • Ter como alvo e lutar permanentemente para melhorar a saúde e o bem-estar de toda a população. Para isso, ressalta a importância de ter sempre em mente assegurar a acessibilidade e a equidade.

Saúde 4.0 no Brasil

No Brasil, devido à sua extensão continental, ainda é necessário realizar um grande esforço para que a Saúde 4.0 seja uma realidade plenamente satisfatória, com acesso universal no atendimento médico. Dessa maneira, a realidade revela uma grande concentração de atendimento nos centros urbanos, notadamente nas regiões Sudeste e Sul.

Ainda assim, nem todas as unidades hospitalares utilizam plenamente utilizando em seu dia a dia todos os recursos disponíveis. Conforme a Healthcare Information and Management System Society (HIMMS), é preciso que clínicas, consultórios, hospitais e demais unidades de saúde estejam prontos para oferecer um serviço de qualidade e rapidez dispondo de:

Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), com todo o histórico médico, anamnese e conduta médica armazenado no computador ou na nuvem; Integração com laboratórios e clínicas de exame de imagem; prescrição de exames informatizados, com a disponibilização online dos resultados.

Além desses: utilização de imagens digitais, as PACS, em vez dos filmes radiográficos; integração total com os departamentos do estabelecimento de Saúde, mais o uso de Big Data e da ferramenta de Business Intelligence (BI) para que as decisões sejam tomadas com rapidez e segurança.

Por fim, a prevê a construção de uma jornada do paciente digital.

saúde 4.0

Desafios

Um dos grandes desafios para a efetiva manutenção da Relação Médico-Paciente é a necessidade da manutenção contínua do acompanhamento do paciente em seu tratamento. Nesse sentido, a automedicação é, com toda a certeza, um problema a ser combatido e vencido.

Segundo o Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ), a pesquisa realizada em 2018 revelou que “No Brasil, 79% das pessoas com mais de 16 anos admitem tomar medicamentos sem prescrição médica ou farmacêutica. O percentual é o maior desde que a pesquisa começou a ser feita pelo Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ). Em 2014, 76,2% diziam automedicar-se e em 2016, 72%.”

Conforme os resultados, obtidos através das respostas de 2.126 entrevistados, 8 em cada 10 brasileiros admitiram se automedicar. Os principais casos apontados foram de casos de sintomas como dores de cabeça (56%), febre (32%), resfriado (31%) e dores musculares (28%).

Além disso, constatou que 68% dos entrevistados confiavam nas opiniões e recomendações da família na hora de escolher um medicamento, com 41% admitindo ter prescrito alguma medicação para algum amigo.

Importância

Melhorar o atendimento, a fim de torná-lo a cada dia mais humanizado. Nesse sentido, a utilização dos recursos tecnológicos, organizando os dados que o médico precisa, dará a ele ganho de tempo para que possa se dedicar ainda mais a cada enfermo, ouvindo-o atentamente e demonstrando que realmente está preocupado com sua saúde e que ele é importante.

As consultas ganham em rapidez, pois todas as informações serão ouvidas atentamente e analisadas, para serem armazenadas no Prontuário Eletrônico do Paciente(PEP). Dessa maneira, fica mais fácil chegar ao melhor diagnóstico, a fim de se fazer a prescrição correta. Por isso, está ao seu lado para ajudá-lo. Esse é o verdadeiro sentido do estreitamento da relação médico-paciente, que ganhou maior importância nesses tempos de combate ao vírus da Covid-19.

Com toda a certeza, as soluções tecnológicas são essenciais para a Revolução em curso com a Saúde 4.0. Não só para uma efetiva gestão do setor, mas também no acompanhamento personalizado dos pacientes. O conhecimento disseminado é fundamental para que as decisões sejam mais rápidas e acertadas. Além disso, em termos de gestão, as soluções existentes permitem melhor compreensão dos dados para se realizar os negócios indispensáveis para tornar reais os objetivos a serem alcançados.

Por exemplo: o fato de disponibilizar de todos os dados permite trabalhar com mais facilidade a Saúde, tendo como foco a prevenção, a fim de se evitar o uso do plano de saúde, que elevaria os custos operacionais de um tratamento. Com isso, contribui para a melhoria no modelo de negócios.

saúde 4.0

Principais Tecnologias da Saúde 4.0

Inúmeras são as tecnologias que abrangem a Saúde 4.0. Dentre as principais estão a Interne das Coisas, a Inteligência Artificial (AI) e o machine learning. Sua utilização possibilita o gerenciamento ágil e eficaz dos processos médicos, conectando máquinas e informações dos pacientes, dando a estes, inclusive, mais autonomia para cuidar de sua saúde.

Com a Revolução da Saúde 4.0, os pacientes estão melhores informados sobre suas condições de saúde, podendo trocar informações em tempo real com os médicos, aderindo assim ao tratamento de uma forma cada vez mais ativa. Por outro lado, o intercâmbio de dados entre os médicos é cada vez maior e produtivo, sendo peça de suma importância para a almejada humanização do atendimento.

Sem dúvida, a Telemedicina tem hoje uma relevância fundamental para o tratamento dos pacientes. A pandemia da Covid-19 transformou as formas de atendimento, fazendo com que muitos pacientes não fossem expostos aos ambientes hospitalares.

Como fica sua carreira?

Os médicos têm cada vez mais compreendido a importância da tecnologia e mergulhado no aprendizado e desenvolvimento de seus conhecimentos na área da informática. Mais do que nunca, precisam acompanhar as inovações que surgem em velocidade espantosa. É preciso, pois ser multidisciplinar, uma vez que essa exigência não só complementa seu conhecimento científico, mas também enriquece o seu currículo.

Resumo

O impulso diário e de grande velocidade das inovações tecnológicas proporcionaram a efetivação e automatização de todos os processos na área da Saúde. Com isso, a Saúde 4.0 tem uma face robusta, oferecendo soluções completas e que aproxima as pessoas, fortalecendo a Relação Médico-Paciente.

Assim temos um perfeito resumo da Saúde 4.0: a integração Saúde-Tecnologia com os seus efeitos produtivos. Os sinais para o futuro são alentadores. Confira outras tendências do uso da Tecnologia na Saúde para 2030, conforme o ARC do Sheba Medical Center, o maior hospital de Israel.

Você pode se interessar por