Blog

É melhor ter ou alugar um consultório médico?


Você está iniciando sua carreira ou tem alguns anos de experiência e não encontra tempo para gerenciar seu consultório? Ter um espaço físico próprio implica em ser obrigado a conviver com inúmeras questões administrativas, que exigem paciência e conhecimento. Não será melhor e mais racional alugar um espaço para atender seus pacientes?


Se você pretende desocupar sua mente de problemas específicos de administração, como aluguel, taxas, limpeza, impostos e gestão, existem alternativas que podem te poupar tempo. Que tal delegar responsabilidades para terceiros, profissionais capacitados para resolver todas essas tarefas? Assim, você poderá se dedicar ainda mais aos pacientes, estudar e cuidar da sua vida particular.


A seguir, relacionamos alguns itens para ajudá-lo a acertar na opção, escolhendo bem o local que proporcionará as melhores condições para você realizar as consultas.


1- Cuidado com a documentação legal


Esta é a primeira medida a ser tomada, com a verificação detalhada de todos os documentos. É preciso que o consultório esteja em dia com as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com a liberação de atendimento médico deferido em Diário Oficial. Também são necessários o Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES) e o Alvará de Funcionamento expedido pela Prefeitura do município. Somente assim você estará devidamente habilitado para conseguir convênios.


2- Sim, é preciso ler todo o contrato


Leia com atenção todas as cláusulas do contrato, exija transparência e só assine após analisar detidamente todos os direitos e deveres. Se necessário, recorra a um bom advogado para ter tranquilidade. É a melhor forma de evitar dores de cabeça no futuro. No contrato deverão constar todos os detalhes sobre a utilização do imóvel: a sala a ser utilizada e durante qual período, tempo do contrato, valor mensal e quais os gastos que estão inclusos, além de outros que possam não estar. Também é importante saber quem é o proprietário do imóvel. Caso vá dividir o imóvel com colegas, todos deverão estar cientes acerca das regras de conduta do prédio.


3- Opte por um imóvel novo e comercial


Para evitar problemas com a vida pregressa de um imóvel antigo, opte por um (seja casa ou prédio) novo e comercial com garagem. O ambiente deve ser acolhedor, a fim de proporcionar bem-estar e segurança para os pacientes. Pintura nova, mobiliário atual e instalações limpas, confortáveis e seguras influenciam tanto no comportamento do paciente quanto na avaliação posterior que ele fará do atendimento. É fundamental que o prédio tenha condições de acessibilidade para o portador de necessidades especiais.


4- Pense no seu público-alvo


Observe atentamente a região onde pretende se instalar. Conforme o público-alvo, escolha um local de fácil acesso, atendido por transporte público e/ou que tenha estacionamento próprio ou próximo ao imóvel. É importante que esteja perto de estação de metrô, ônibus, pontos de táxis, dentre outros. Caso tenha grande circulação de pessoas, lembre-se que isto implica em ter um espaço bem amplo. Pense também na população mais idosa e, conforme a necessidade, coloque a acessibilidade como item prioritário, com a disponibilização de rampas e elevadores.


5- Calcule os custos


Prepare uma planilha com os gastos mensais do espaço: aluguel, salário da secretária, devidamente registrada conforme as leis trabalhistas, despesas com luz, água e condomínio, verificando se existem outras taxas para manutenção do imóvel.


Confira dicas de como planejar o orçamento do seu consultório clicando aqui


6- Alugar sozinho ou dividir com algum colega?


Você pretende trabalhar em horário integral ou por turno? Quantos dias na semana? Evite ociosidade e desperdício. Pretende locar apenas para seu uso ou vai dividir com algum colega? Se tiver muitos pacientes, alugue o imóvel sozinho. Caso contrário, divida com colegas de confiança, compartilhando o espaço e as custas do aluguel e manutenção.


7- Opções alternativas


As clínicas multidisciplinares surgiram como alternativa diante do alto custo das despesas e das dificuldades para se manter um consultório. Além da divisão de salas individuais, com atendimentos em dias e horários diferentes, também verifica-se o crescente compartilhamento de espaços médicos tanto com colegas de outras especialidades quanto das áreas odontológica, psicológica, psiquiátrica e de fisioterapia.


As clínicas médicas de saúde integrada surgiram como uma bela oportunidade para se trocar informações científicas sobre diferentes especialidades e aprimorar o conhecimento da Medicina, com uma visão holística e humanista. O que pode proporcionar aos pacientes um diferencial com resultados mais eficazes.


8- Já ouviu falar em co-working?


Esta é uma tendência em crescimento e abrange diferentes profissionais liberais, com consultórios e escritórios compartilhados em um mesmo prédio. Em um ambiente flexível, advogados podem receber os clientes, startups podem desenvolver softwares e os médicos atender seus pacientes.


Com um detalhe importante: sem se preocupar com questões administrativas e de infraestrutura, como, por exemplo, móveis, limpeza, energia elétrica e tecnologia, além do aluguel e as taxas de condomínio. Além disso, com a vantagem de ter um baixo custo inicial e operacional e de ser mais promissor que os aluguéis tradicionais, oferecendo diversos tipos de planos, conforme cada perfil.




Compartilhe