Blog

Assessoria de Imprensa para clínicas e consultórios médicos

Assessoria de Imprensa para clínicas e consultórios médicos


Manter um bom relacionamento com a mídia é fundamental para a formação e fixação do nome de um médico perante a sociedade, podendo impulsionar sua carreira. Cultivar uma boa imagem é importante para que você possa demonstrar seus conhecimentos e se tornar uma referência em sua especialidade.


Como em outras profissões, muitos médicos são procurados pelos Meios de Comunicação de Massa (jornais, revistas, rádios, tevês, internet e demais mídias sociais) para falar ou escrever sobre assuntos de seu domínio.


Muitos desses entrevistados acabam se transformando em figuras carimbadas, tantas vezes são chamados pelos veículos para opinar, seja pelo reconhecimento do seu saber, pela sua notoriedade ou até mesmo pela falta de maiores opções.


Assim, você deve estar preparado para quando for procurado para falar sobre determinado tema da sua especialidade, principalmente porque os assuntos de Medicina e Saúde têm despertado cada vez mais a atenção da população.


Assessoria de Imprensa


Contar com os recursos de uma Assessoria de Imprensa em sua clínica/consultório é o primeiro passo para afinar o relacionamento entre o seu empreendimento com os órgãos de comunicação.


Esta sintonia precisa ser ajustada, mediante alertas de seus assessores para alguns pontos importantes. Mas, antes disso, você deve ter pleno conhecimento sobre o trabalho e a importância da assessoria, como funcionam as redações e como pode ser feita a ligação entre a imprensa e você.


Treinamento


Conceder uma entrevista não é nenhum bicho de sete cabeças, mesmo que você não tenha nenhuma experiência. Na maioria das vezes, falar ao vivo para uma rádio pode ser complicado, transformando-se em terror para muitos se for para uma emissora de televisão.


Aqui começa o trabalho da assessoria, explicando como funciona o trabalho nas diferentes mídias. A cada entrevista, o jornalista deverá acompanhar o médico, apresentando os editores, produtores e repórteres, a fim de facilitar o relacionamento, que deve ser sempre cordial.


Como se portar?


O primeiro passo é não ter medo de falar, aparecer no vídeo, mas sim demonstrar firmeza e segurança ao responder às perguntas, sem gaguejar. Nas entrevistas de rua, ao vivo, o repórter sempre combina antes o que vai perguntar, enunciando a sequência.


O tempo vale ouro na televisão e suas respostas precisam ser diretas, claras e concisas. Lembre-se de que falará para milhões de leigos. Nos programas de estúdio, seja uma entrevista ou um debate, geralmente o clima é mais descontraído e é bom estar relaxado, mas sempre atento para não vacilar quando for responder ou fazer alguma intervenção.


E esteja sempre atento acerca da importância de jamais ferir o Código de Ética Médica.


Intermediação e preparo


Cabe ao assessor de imprensa propor a sua participação em programas, devendo conversar antes com você sobre o que foi previamente acertado com a produção do programa.


Você não pode entrar em um programa para participar de um debate ou conceder uma entrevista sem antes saber exatamente o que lhe será questionado. Cabe ao assessor de imprensa fornecer subsídios, municiando com dados, e prepará-lo para a entrevista.


Sem medo


Você somente ganhará experiência com o tempo, a partir do momento em que sentir confiança no trabalho dos jornalistas, que, por sua vez, têm por obrigação colocá-lo à vontade para que possa se expressar da melhor forma e com a rapidez que muitas vezes é exigida tanto do entrevistado quanto do entrevistador.


Sendo assim, não tenha medo e lembre-se de que sempre existe uma primeira vez. Quando perceber que não foi tão ruim assim e que não se trata de nenhuma tortura, vai acabar tomando gosto e até reclamar do assessor que está sumido da mídia, pois perceberá que existe algum tema importante que poderia abordar.


Parceria


Mantenha contato estreito com sua Assessoria de Imprensa, traçando estratégias para que possa participar ativamente de projetos na mídia. Em pouco tempo, poderá se transformar em um convidado permanente de algum programa, aquele especialista que sempre é lembrado não apenas pelo conhecimento científico, mas também pela educação, fineza e disponibilidade.


Um passo à frente


Outro passo importante poderá ser dado pela Assessoria de Imprensa, agora invertendo os papéis e já propondo uma pauta para a chefia de reportagem ou a produção de uma tevê, por exemplo. Trata-se de estar atento para a realidade e de aproveitar a oportunidade para colocá-lo na mídia.


Por exemplo: você é especialista em Infectologia e sabe que em sua cidade existem bolsões de pobreza onde ocorrem enchentes a cada ano, apresentando um caráter epidemiológico mais grave. Ao se aproximar o período de chuva, o assessor pode perfeitamente propor que sua clínica/consultório realize uma campanha de alerta e conscientização para se prevenir contra doenças como a leptospirose. Ou você pode escrever um artigo para o jornal da cidade, enviando o mesmo para tevês e rádios, já sugerindo uma possível entrevista para falar sobre os perigos de se contrair a doença.


Retorno


Com o auxílio da Assessoria de Imprensa, você e sua clínica/consultório poderão alcançar mais rapidamente o reconhecimento público. Seu trabalho prático pode e deve ser muito bem explorado e com eficiência nas mídias e redes sociais.


Ao disseminar seus conhecimentos através de opiniões em entrevistas, participar de programas e debates, publicar artigos acadêmicos na imprensa especializada e também com uma linguagem acessível para os leigos, você sedimentará sua imagem como médico competente e respeitado. Fidelizando pacientes e atraindo novos.


Cuidado


Se você tomou gosto, deve apenas se precaver para não se transformar em “arroz de festa”. Sua Assessoria de Imprensa deve escolher os melhores canais para que sua imagem não se desgaste com programas de qualidade duvidosa.




Compartilhe