Blog

Qual a diferença entre assistência e atenção farmacêutica?


Assistência e atenção farmacêutica são dois conceitos diferentes, mas que podem ser confundidos devido à semelhança dos nomes. Continue lendo o post de hoje e entenda as diferenças entre assistência farmacêutica e atenção farmacêutica e a importância de cada uma delas, seja na atuação no ambiente hospitalar ou farmacêutico, o qual abrange indústrias farmacêuticas, distribuidoras de medicamentos e produtos hospitalares e as farmácias e drogarias, onde o profissional está em contato direto com o paciente.


Assistência farmacêutica



Assistência farmacêutica é o conjunto de atividades relacionadas ao medicamento, para apoiar as ações de saúde para uma comunidade. O profissional atua em todas as etapas, desde a pesquisa de um novo medicamento até sua chegada aos usuários.


Tais fases consistem em: desenvolvimento do fármaco, conservação, controle de qualidade, eficácia terapêutica, segurança, acompanhamento e avaliação da utilização, obtenção e difusão de informação sobre medicamentos, além da educação continuada dos profissionais de saúde, do paciente e da comunidade para garantir o uso racional de medicamentos.


Atenção Farmacêutica



Atenção farmacêutica, como o nome já diz, é um conjunto de ações realizadas por farmacêuticos para orientar e acompanhar o paciente quanto ao uso adequado dos medicamentos. Ao mesmo tempo, ele colabora para evitar possíveis problemas indesejados durante o uso da medicação, mas, caso eles ocorram, o profissional deve buscar uma solução.


Na atenção farmacêutica, o profissional pode participar de uma equipe com outros profissionais de saúde para garantir o melhor aproveitamento dos benefícios dos medicamentos. Dentro do conceito de atenção farmacêutica, podemos englobar os seguintes princípios:


Farmácia comunitária


Estabelecimento de prestação de serviços farmacêuticos ligado ao Sistema Único de Saúde (SUS) e voltado à orientação para a saúde coletiva ou individual.


Atendimento Farmacêutico


É a interação do farmacêutico com paciente, buscando resolver problemas que envolvam, ou não, o uso de medicamentos. Essa ação pode compreender: ouvir, identificar necessidades, analisar a situação, definir condutas, tomar decisões, avaliar e documentar, entre outras ações.


Dispensação de medicamentos


É o fornecimento dos medicamentos pelo farmacêutico ao paciente, em geral com a apresentação de uma receita prescrita por um médico ou profissional autorizado.


O farmacêutico orienta e informa o paciente com relação ao uso adequado do medicamento, incluindo informações sobre a dosagem e os horários para usá-lo, como armazená-lo adequadamente, e sobre possíveis interações com alimentos ou com outros medicamentos.


Intervenção farmacêutica


É uma ação em conjunto entre usuário e profissionais de saúde, para prevenir ou resolver problemas que podem interferir na farmacoterapia (tratamento de pacientes com medicamentos), realizando acompanhamento farmacoterapêutico.


Acompanhamento farmacoterapêutico


O farmacêutico é responsável por zelar pelas necessidades dos pacientes relativas aos medicamentos, encontrando, prevenindo e resolvendo Problemas Relacionados aos Medicamentos (PRM), de maneira regular e documentada, para melhorar a qualidade de vida dos usuários.


Problemas relacionados ao medicamento (PRM)


São os problemas de saúde ocasionados por conta dos resultados negativos (como os efeitos adversos) de um medicamento.


Uso Racional de Medicamentos


O papel do farmacêutico quanto ao uso racional dos medicamentos é verificar a dose, a duração do tratamento e o ajuste da forma farmacêutica (se o remédio for em forma de comprimidos ou cápsulas, solução, xarope, etc.) às necessidades do paciente, além de minimizar o risco de reações adversas e chegar ao menor custo-benefício de um dado medicamento.


Apesar de diferentes, os conceitos de assistência e atenção farmacêutica se complementam, tornando impensável um existir um sem o outro.


Fonte: www.hipolabor.com.br/blog


 




Compartilhe