Blog

Por que encontramos estas Siglas nos medicamentos?


Há vários medicamentos que são desenvolvidos para liberar seu princípio ativo diretamente no intestino, isso acontece porque o princípio ativo (fármaco), pode ser sensível ao ácido do estômago, obter-se uma melhor absorção do medicamento ou ainda para proteger o estômago dos efeitos irritantes do medicamento.


Outros medicamentos são desenvolvidos para que o intervalo entre as doses possa ser maior, uma forma de facilitar a adesão ao tratamento pelo paciente. São chamados de medicamentos de liberação modificada por isso, as indústrias farmacêuticas utilizam siglas nos momes dos medicamentos para identificar o tipo de liberação ou mesmo a forma que o medicamento vai agir no organismo.


Existem vários mecanismos utilizados para permitir a libertação prolongada de uma droga no corpo. Em alguns casos, o medicamento é coberto de um revestimento que se dissolve depois de um período de tempo para liberar o princípio ativo. Também há fármacos com diferentes espessuras de revestimento que permitem que o princípio ativo seja liberado aos poucos para ter um efeito gradativo. Em um sistema de difusão, o fármaco é liberado ao longo do tempo através de uma matriz de pequenas aberturas numa membrana externa.


O mecanismo usado para dispersar o fármaco pode variar e este pode afetar como a droga age sobre o corpo. Veja um exemplo de como os efeitos para as diferentes siglas podem influenciar o mesmo medicamento: Wellbutrin SR, sua posologia é feita duas vezes por dia, enquanto Wellbutrin XL é tomado uma vez por dia. Além disso, alguns destes comprimidos não deve ser esmagados, mastigados ou divididos, enquanto outros podem ser divididos de forma segura, mas não esmagado ou mastigado.


Significado das Siglas dos Medicamentos


Muitas delas são abreviações em inglês de suas ações. Mas também existem algumas em português.



  • AP (Ação Prolongada): Exemplo: Tylenol AP®

  • CD (Controlled Diffusion): controle da liberação do princípio ativo. Exemplo: Angipress CD®

  • CLR (Crono-Liberação Regulada): Exemplo: Biofenac CLR® CR (Controlled Release): Liberação Controlada : Exemplos: Tegretol CR®, Adalat CR®

  • CRT (Controlled Release Tablet): Comprimido de Liberação Controlada

  • DEPOT: Ação Prolongada → uma área do corpo , em que uma substância , por exemplo , uma droga , pode ser acumulado , depositado , ou armazenados e a partir da qual ele pode ser distribuído. Exemplo: Clopixol Depot®

  • DI (Desintegração Instantânea): Exemplo: Biofenac DI®

  • DL: Desagregação Lenta

  • DURILES: Desintegração Equilibrada

  • HFA: o sistema de aerossol ou spray (bombinha) que utiliza hidrofluoroalcano como gás propelente. Usado em substituição ao CFC. Exemplo: Clenil® HFA

  • LA (Long Acting): Ação Longa – Exemplo: Rebaten LA®

  • LP (Liberação Prolongada): Exemplo: Biofenac LP®

  • ODT (Orally Disintegrating Tablet or Orally Dissolving Tablet): Comprimido de Desintegração Oral

  • OROS (Osmotic [Controlled] Release Oral [Delivery] System): Sistema Oral de Liberação Osmótica

  • PLUS: Algo Mais ou Dosagem Mais Forte

  • REPETABS: Tablete Duplo de Repetição

  • RETARD: Ação Retardada

  • SA (Sustained Action): Ação Mantida

  • SL (Sub-Lingual): Feldene SL®

  • SPANDETS: Comprimido Especial de Liberação Controlada

  • SR (Sustained Release – Liberação Sustentada/Prolongada): É um tipo de liberação estendida que permite uma rápida liberação de uma dose ou fração do princípio ativo, seguida de uma liberação gradual da dose restante, por um período de tempo prolongado. Ou seja, ação rápida e duradoura. Exemplos: Voltaren SR®, Indapen SR®.

  • SRO (Sustained Release Oral): Exemplos: Hydergine SRO®, Parlodel SRO®

  • TTS (Transdermal Therapeutic System): Sistema Terapêutico Transdérmico

  • UD (Única Dose): Klaricid® UD (Informação Confirmada pelo Fabricante)

  • XR (eXtended Release – Liberação Estendida) ou XL: A liberação estendida tem como objetivo manter a liberação do fármaco por um período maior de tempo. Neste tipo, a liberação é suficientemente lenta para que seja possível estender o intervalo entre as doses por duas vezes ou mais. Exemplos: Efexor XR®, Cipro XR®, Glifage XR®, Alenthus XR®, Frontal XR®.


Existem as siglas que não têm a ver com a liberação modificada do fármaco, por exemplo:



  • DC (Dor de Cabeça): Tylenol DC®

  • BD (Bis in Die) → É uma abreviação de “bis in die”, que em latim significa duas vezes por dia. Esta sigla também é encontrada em prescrições médicas escrita como “bid” ou “BID” ou “B.I.D.”. Exemplo: Clavulin BD


Existem outras abreviações derivadas do Latim que podem ser usadas em prescrições médicas:



  • q.d. ou QD (quaque die) → Significa uma vez por diat.i.d. ou

  • TID (ter in die) →Significa três(3) vezes ao dia q.i.d. ou

  • QID (quater in die) → Quatro vezes ao dia


Fonte: Farmaceutico Digital




Compartilhe