Blog

Aplicativos para auxiliar médicos e pacientes no tratamento das Hepatites

Aplicativos para auxiliar médicos e pacientes no tratamento das Hepatites


Celebra-se hoje, 28 de julho, o Dia Mundial de Combate à Hepatite, data escolhida como reverência ao aniversário do professor Baruch Samuel Blumberg, descobridor do vírus da Hepatite B. A homenagem foi instituída a partir de iniciativa e propostas brasileiras junto à Organização Mundial de Saúde (OMS), durante Assembleia Mundial da Saúde realizada em maio de 2010.


A partir daí, o Ministério da Saúde, através do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde, vem cumprindo uma série de metas e ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das hepatites virais no Brasil.


Conforme relatórios da OMS, 325 milhões de pessoas sofrem com os vírus da Hepatite B ou C em todo o planeta. Além disso, mais de 1 milhão de pessoas vão a óbito a cada ano devido à enfermidade. Apenas 9% das pessoas acometidas pelo vírus da Hepatite B sabem que estão convivendo com a moléstia.


Com relação à Hepatite C, os números alcançam 20% das pessoas com esse conhecimento. As hepatites virais A, B, C, D e E podem causar infecção e inflamação aguda e/ou crônica do fígado, podendo levar à cirrose e ao câncer de fígado.


Prevenção


A data de hoje é utilizada em todo o mundo para conscientizar a comunidade médica e alertar as pessoas, as encorajando acerca da importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento. Para isso, a disseminação das informações é feita através de intensas campanhas com o apoio da mídia. Existem várias medidas que são capazes de ajudar, evitando a propagação das hepatites virais:



  • Sempre usar preservativo durante as relações sexuais.

  • Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings.

  • Não dividir com outras pessoas instrumentos de manicure e pedicure.

  • Não utilizar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas.

  • Não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.


Diagnóstico


Enquanto a Hepatite B se manifesta com maior frequência na faixa etária de 20 a 49 anos, no Brasil, a Hepatite C atinge mais pessoas entre 30 e 59 anos, com a grande maioria desconhecendo sua condição sorológica. No caso da Hepatite C, existem pacientes que fizeram transfusão de sangue antes de 1993 (época em que não havia teste para diagnosticar a enfermidade) ou que utilizaram seringas não esterilizadas que podem estar infectadas pelo vírus da Hepatite C sem terem conhecimento.


Como é uma moléstia que nem sempre apresenta sintomas, muitas pessoas, principalmente dos tipos B e C, só percebem que estão doentes quando as manifestações já atingiram um estágio mais grave, como cirrose ou câncer de fígado, levando anos para descobrir que estão infectadas.


Os médicos hepatologistas enfatizam que realizar o diagnóstico precoce é um dos fatores fundamentais para evitar a transmissão ou a progressão das hepatites e de suas graves consequências. Os testes estão disponíveis em toda a rede do SUS.


Uma das ferramentas que surge como alternativa para o diagnóstico é o Point Of Care (POC), popularmente conhecido como testes laboratoriais remotos ou testes rápidos. O termo designa uma série de tecnologias de cuidado no ponto de atenção e possibilita a testagem para doenças ou substâncias específicas de uma maneira rápida e sem requerer uma estrutura cara e imobilizada de laboratório de análises clínicas.


Vacinação


A vacina contra a Hepatite B deve ser recomendada para jovens até 29 anos, para as populações vulneráveis, especialmente os profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens e usuários de drogas, e para os profissionais de saúde. Ela integra o calendário de vacinação da criança e do adolescente e está disponível em todas as salas de vacina do SUS.


Todo recém-nascido deve receber a primeira dose, preferencialmente, nas primeiras 12 horas de vida. Se a gestante tiver Hepatite B, o recém-nascido deverá receber, além da vacina, a imunoglobulina contra a Hepatite B, nas primeiras 12 horas de vida, a fim de evitar a transmissão de mãe para filho.


Aplicativos para médicos e pacientes com Hepatite


Aplicativos para médicos e pacientes com Hepatite


1 - Trat-C


Software destinado aos médicos que tem como objetivo orientar a escolha quanto ao melhor tratamento adequado a cada caso e disponível no Brasil para portadores da Hepatite C baseado no "Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C e Coinfecções" do Ministério da Saúde de 2015. Os médicos cruzam informações e optam pelo melhor esquema terapêutico para o paciente através de cliques únicos em telas sequenciais. Disponível para dispositivos Android e iOS.


2 - Hep-C Help


Este aplicativo foi desenvolvido pelo Hospital Israelita Albert Einstein com o intuito de ajudar os médicos, principalmente clínicos gerais, hepatologistas, gastroenterologistas e infectologistas, na escolha da melhor combinação terapêutica. O app faz alertas para os efeitos colaterais esperados, exames que devem ser solicitados e outros aspectos de cada fase da moléstia.


Basta que o médico insira as informações do enfermo para que o software disponibilize o melhor tratamento. O manejo de pacientes com Hepatite C depende das variáveis de cada pessoa, do vírus e das opções terapêuticas disponíveis. O dispositivo é fácil de ser utilizado e é constantemente atualizado com as opções de novos tratamentos, protocolos e medicamentos, dentre outras informações. Disponível apenas para iOS.


3 - Cuide-se Bem


Este app resulta de uma iniciativa do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP e foi concebido para auxiliar portadores de HIV e Hepatite C (HCV) a administrar sua rotina com medicamentos e exames, além de fornecer dicas de bem-estar e informar sobre direitos legais. Gratuito, o aplicativo funciona como um diário e disponibiliza o uso de agendas com alertas e lembretes, com espaço para registrar os efeitos colaterais e acompanhar o passo a passo do próprio tratamento. Simples e ágil, acessível e prático, ajuda na organização dos medicamentos e exames voltados ao tratamento do HIV e HCV. Disponível para dispositivos Android e iOS.




Compartilhe