Blog

Aplicativos que ajudam no controle da Asma


Comemora-se hoje, 21 de junho, o Dia Nacional de Controle da Asma, data concebida com o intuito de alertar a população para a doença que piora e coincide com a chegada do inverno. Também conhecida como "bronquite asmática" ou como "bronquite alérgica", trata-se de uma enfermidade que acomete os pulmões, sendo acompanhada de uma inflamação crônica dos brônquios.


Mesmo com todo o conhecimento científico adquirido ao longo dos anos e os avanços da Medicina, ainda hoje a asma permanece como desafio. É uma moléstia que tem como principal característica uma inflamação crônica dos brônquios, acometendo as vias respiratórias e produzindo falta de ar, chiado no peito, sensação de peito preso, cansaço fácil e tosse com ou sem catarro.


Os sintomas variam de pessoa para pessoa e são percebidos durante as crises agudas, geradas pelos chamados “gatilhos”, ou fatores desencadeantes, como o uso de cosméticos com cheiro forte, produtos de limpeza, exposição ao mofo ou contato direto com os animais.


Estatísticas



A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 300 milhões de pessoas no mundo, incluindo crianças, sofrem com a asma. No Brasil, seus dados indicam cerca de 20 milhões de pessoas. Já a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde (MS) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou para 6,4 milhões de brasileiros, acima de 18 anos, com a doença. As mulheres com este diagnóstico representam cerca de 3,9 milhões, contra 2,4 milhões de homens.


A asma é responsável por mais de 100 mil internações no Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas em 2014, no período de janeiro a novembro, foram 105,5 mil internações, originando um custo de R$ 57,2 milhões para a rede pública de saúde, conforme revelou o Sistema de Informações Hospitalares (SIH). É a 4ª causa mais frequente de hospitalizações no SUS e a 3ª quando se refere a crianças e jovens.


Estatísticas da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) indicam que 22 milhões de cidadãos têm asma. Isto colocou as autoridades do País em alerta, fazendo com que o SUS criasse mecanismos de tratamento da doença, que ainda tem alta taxa de mortalidade.


Mas, é importante ressaltar que não é uma doença viral ou bacteriana transmissível. Ela ocorre em indivíduos que tenham predisposição genética, sendo comum encontrar pessoas da mesma família que sofram do mal, embora esta não seja uma regra. Sendo um distúrbio genético, a pessoa pode ter predisposição, mas não desenvolver crises ou não sofrê-las com frequência.


Existem três níveis de controle da doença: controlada, parcialmente controlada e descontrolada. São estes que determinarão a necessidade de aumento da medicação ou a possibilidade de sua redução.


Classificação



Pneumologista do Hospital Santa Paula, o médico João Geraldo Simões Houly classifica a asma em quatro categorias:



  • Sintoma leve e alternado até dois dias por semana e até duas noites por mês, com predomínio dos sintomas no inverno.

  • Sintoma persistente e leve, mais do que duas vezes por semana, mas não mais do que uma vez em um único dia.

  • Sintoma persistente moderado uma vez por dia e mais de uma noite por semana.

  • Sintoma grave persistente ao longo do dia, na maioria dos dias e frequentemente durante a noite.


Tratamento



O tratamento é feito com o auxílio de remédios e os mais comuns são os medicamentos inalatórios, de ação curta ou prolongada. Os de ação curta são os broncodilatadores, as conhecidas “bombinhas”, que agem no momento da crise.


Já os corticosteroides e os broncodilatadores são prescritos para prevenir os sintomas e diminuir a frequência das crises, baseando-se nas medidas de higiene do ambiente, uso de medicamentos e vacinas para alergia. Os medicamentos são divididos conforme a necessidade: para aliviar a crise e para prevenir a sua ocorrência.


Aplicativos



1- Asma - TelessaúdeRS


Disponibiliza orientações sobre o diagnóstico, classificação e manejo da asma em adultos e crianças maiores de 5 anos. Diagnóstico e classificação da asma através de parâmetros clínicos e espirométricos. Tratamento sugerido de acordo com classificação da gravidade da patologia, fornecendo orientações não-farmacológicas e farmacológicas.


As recomendações são baseadas nas diretrizes do The Global Initiative for Asthma (GINA) e Caderno de Atenção Básica sobre Doenças Respiratórias Crônicas, do Ministério da Saúde.


Gratuito, em inglês, disponível para Android e iOS.


2- AsthmaMD


Tem sido o app líder no iPhone e o número 1 recomendado pelos médicos. Ele é fácil e rápido de usar para ajudar o paciente no acompanhamento e gestão da sua asma e DPOC.


Possibilita manter um diário da doença com facilidade e rapidez, permitindo visualizar todas as atividades em um gráfico de cor, compartilhar o diário e gráficos com o médico, para que este acompanhe o tratamento e o ajude na investigação da asma.


Gratuito, em inglês, disponível para Android e iOS.


3- BreathPacer


Este é um programa anti-estresse que se propõe a ajudar o usuário a respirar melhor e ter uma melhor qualidade de vida. Pesquisas indicam que dedicar de 10 a 20 minutos do dia aos exercícios ajudam a melhorar a respiração, inclusive no tratamento de depressão, ansiedade, asma, DPOC e hipertensão, além de melhorar a função cognitiva e o desempenho desportivo.


Existe uma série de livros que explicam o passo a passo de exercícios para respirar melhor, mas carregar um livro para cima e para baixo não é tão prático assim. O app é um guia que auxilia o usuário a respirar melhor, diretamente no seu smartphone, com o objetivo de ajudar a reduzir o estresse. As técnicas utilizadas são baseadas em Yoga, Meditação e Qigong, dentre outras práticas.


Gratuito, em inglês, disponível em inglês para iOS.


4- Asthma Tracker


Asma Rastreador oferece uma maneira rápida e colorida para manter o controle da doença através do preenchimento de seu diário. Torna mais fácil controlar e salvar todos os seus valores de pico de fluxo e medicações, bem como os sintomas relacionados com a asma ao longo do dia.


Usando a funcionalidade de lembrete você não perderá a hora da medicação.  Além disso, também irá permitir, no final de cada mês, preencher o conhecido Asthma Control Teste.


Gratuito, em inglês, disponível para Android e iOS.




Compartilhe