Blog

10 Dicas para utilizar as redes sociais a seu favor


Estar conectado é fundamental em qualquer profissão no mundo de hoje. Já abordamos em nosso Blog a importância de o médico utilizar todo o potencial tecnológico disponível para ajudá-lo a desempenhar bem seu trabalho. E também para que possa elevar cada vez mais o relacionamento com seus pacientes.


A utilização do Instagram, Facebook, Linkedin, Twitter e outras redes sociais deve ser muito bem explorada. Entretanto, o profissional precisa estar atento com relação a excessos, a fim de evitar que um pequeno vacilo traga consequências desagradáveis, com aborrecimentos que possam colocar sua imagem em risco, com ameaça de perda da credibilidade e da honra.


Relacionamos, a seguir, algumas dicas que poderão alertá-lo para não incorrer em erros e continuar assegurando a importância de sua presença nas mídias sociais sem problemas.


1- Pense bastante antes de publicar



Seja sempre profissional. Não está em um dia bom, preocupado com problemas pessoais? Não desconte no mundo virtual. Qualquer comentário maledicente sobre algo de que não tenha gostado poderá se voltar contra você. O tempo passa e você pode até ter se esquecido de uma reclamação contundente que fez contra algo ou alguém, mas um dia isso poderá ser relembrado, criando uma saia justa para você. Pode ser diante do próximo chefe ou de um paciente, nunca se sabe. Portanto, melhor guardar críticas ácidas e piadas para seu perfil pessoal.


2- Cuidado com os conteúdos



Nas mídias sociais, você está diante dos olhos e do julgamento da opinião do mundo e o feedback das pessoas dependerá apenas da sua forma de apresentar seus conhecimentos científicos. Esteja atento ao que for divulgar, com conteúdos da sua área de atuação e que possam interessar diretamente aos seus pacientes.


3- Evite a superexposição



O risco da superexposição é muito grande nas mídias. Não seja vaidoso. É tentador ser colocado como campeão de cliques, curtidas e compartilhamentos. Mas, lembre-se de que você é, antes de qualquer coisa, um médico que jurou fidelidade à causa de tratar dos pacientes, buscando a cura para suas enfermidades e minimizar o sofrimento de cada um. Você não se formou para ser uma celebridade das redes sociais e estas devem ser utilizadas como um poderoso aliado na sua luta.


4- Evite polemizar



Não se exponha participando de debates alheios à sua profissão, a discussões polêmicas que apenas podem criar arestas e acirrar diferenças, prejudicando seu trabalho e sua imagem. Evite abordar e procure sempre deixar à margem temas como política, religião, aborto, racismo, questões de gênero, pena de morte e controle de armas.


Lembre-se de que as redes sociais estão apinhadas de pessoas que abraçam causas e ideologias de uma forma fanática, sem admitir ideias contrárias, que na verdade não querem saber qual é sua opinião, pois só estão ali para ver quem grita mais alto na tentativa de fazer prevalecer suas convicções.


5- Atente-se para sua reputação



O que você escrever em uma página virtual será sempre lembrado por alguém que tenha lido sua opinião e isto pode custar caro. Não basta deletar, pois as pessoas não esquecem e podem trazer qualquer comentário controverso para dentro do consultório, prejudicando sua carteira de pacientes e ferir sua reputação.


6- Atenção com a Língua Portuguesa



Saiba utilizar corretamente a linguagem e a técnica de cada canal, a fim de realizar um trabalho correto e atraente, capaz de deixar a sua marca. Evite o desleixo, o descuido com a Língua Portuguesa. Se não tem tempo para cuidar como deveria da ortografia e das normas gramaticais, procure a assessoria de um profissional, para que o que for postar esteja escrito corretamente e sempre de forma atualizada.


7- Dê mais atenção ao seu perfil profissional



Caso queira publicar algo sobre gostos pessoais, como arte, literatura, futebol e cinema, por exemplo, crie uma conta separada da sua página profissional. Contudo, lembre-se sempre de que é preciso manter a etiqueta, evitando a divulgação de fatos, comentários, vídeos e fotos de festas e de sua intimidade, que depois possam provocar arrependimento. Além disso, o ideal é que o seu perfil profissional tenha maior visibilidade que o pessoal.


8- Preserve a confidencialidade das consultas



Manter a confidencialidade das consultas e resguardar a privacidade dos pacientes é dever primordial do médico. No final de 2015 foi iniciado um intenso debate acerca do comportamento ético dos profissionais da Medicina no Facebook, depois da publicação de imagens e vídeos, com posts e selfies expondo pacientes durante cirurgias. Novas regulamentações do Conselho Federal de Medicina (CFM) foram divulgadas no Diário Oficial da União do dia 1º de outubro, que imediatamente, entraram em vigor. 


9- Fale sobre sua especialidade



Procure sempre escrever sobre a sua especialidade, o tema que domina, com informações relevantes, confiáveis, embasadas cientificamente e com referências de respeito e credibilidade. Se for compartilhar qualquer artigo, curtir textos e comentários no Facebook ou Twitter, ou publicar fotos no Instagram, somente faça isto com absoluto conhecimento de causa. Evite imprecisões e, na dúvida, opte por não publicar.


10- Peça permissão de seus pacientes



Caso pretenda utilizar uma imagem de qualquer parte do corpo de um paciente, obtenha dele, antes, a necessária permissão por escrito. Não jogue por terra a imagem profissional que constrói a cada dia. Lembre-se, sempre, que um pequeno descuido pode estremecer a relação de confiança mútua médico-paciente. 


O que diz o CFM


No dia 15 de dezembro, a entidade abrandou as restrições através da Resolução nº 2.133/2015, com esclarecimentos sobre a divulgação e publicidade de assuntos médicos na internet e em canais das redes sociais. O texto, que altera apenas um ponto do anexo 1 da Resolução 1.974/2011, permite que os médicos publiquem nos seus perfis dados como sua especialidade, CRM, RQE, além do endereço e telefone do local onde atendem.


As mídias sociais aí estão para favorecer o seu trabalho e a melhoria do paciente. Portanto, utilize-as corretamente, em seu benefício e dos seus pacientes, sem cair nas armadilhas.




Compartilhe