Blog

Ministério da Saúde alerta para Uso Racional de Medicamentos


Após reunir o Comitê Nacional para a Promoção do Uso Racional de Medicamentos (CNPURM), o Ministério da Saúde (MS) reforçou sua preocupação acerca do uso correto de medicamentos, alertando ainda para a importância de se realizar o descarte adequado e para os riscos de intoxicação. No encontro da última sexta-feira, dia 5, também foram debatidas a agenda de 2017 e a organização do VI Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos e I Congresso Pan-Americano sobre Uso Racional de Medicamentos.


O Ministério da Saúde está atento e tem como meta fortalecer suas equipes para esclarecer a população sobre a importância de seguir as recomendações para utilização racional e segura de medicamentos. Conforme levantamento realizado pelo Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicos do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fiocruz, a intoxicação por medicamentos é responsável pelo maior número de casos de notificação no Brasil. Dos 42.128 casos relatados, 11.985 foram motivados pelo uso inadequado das drogas, representando 28,45% do total.


É uma questão preocupante e que há algum tempo mobiliza discussões em todo o mundo, pois afeta desde as pessoas com maior poder financeiro quanto as mais desassistidas, seja pelo consumo exagerado ou pela falta de medicamento. A Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar) tem se empenhado “para que as farmácias sejam consideradas pelo Estado como estabelecimentos de saúde que têm como centro a compreensão de que o medicamento é um insumo de saúde e não uma mercadoria”. Dessa forma, a entidade enfatiza que o medicamento não pode ser vendido em prateleira, devendo obrigatoriamente existir um farmacêutico no estabelecimento para indicar a orientação sobre o seu uso.


Dados Importantes


O Uso Racional de Medicamentos (URM), segundo a Organização Mundial da Saúde, fica evidenciado quando “os pacientes recebem medicamentos apropriados às suas necessidades clínicas, em doses e períodos adequados às particularidades individuais, com baixo custo para ele e sua comunidade”.


A OMS destaca em seus levantamentos que mais de 50% de todas as drogas receitadas no planeta são dispensáveis ou vendidas de forma inadequada. Além disso, aproximadamente 1/3 da população não tem o necessário acesso aos medicamentos essenciais e metade dos pacientes de todo o mundo tomam os medicamentos de forma incorreta.


No Brasil, dados da Pesquisa Nacional de Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos (PNAUM) revelaram que o predomínio da automedicação no Brasil foi de 16,1%, com destaque para a utilização de relaxantes musculares e analgésicos. Por outro lado, o Departamento de Informática do SUS (DATASUS) registrou que em 2013 houve 48 milhões de atendimentos de urgência, resultando em 11 milhões de internações financiadas pelo Sistema Único de Saúde SUS.


Recomendações



O Ministério da Saúde destaca algumas recomendações extras sobre o Uso Racional, seguro e responsável de Medicamentos:


1- Segurança no uso


Caso a pessoa se sinta mal ou suspeite de uma reação adversa pelo uso de uma droga, a recomendação é para que se procure imediatamente um médico, farmacêutico ou um posto de saúde.


2- Automedicação deve ser evitada


O uso de medicamentos por conta própria, sem a devida orientação de um médico ou farmacêutico, pode ser perigoso.


3- Utilização correta


A droga deve ser administrada na dose prescrita e seguindo os horários corretos, obedecendo os intervalos entre uma e outra dose.


4- Descarte e armazenamento adequados


Existem coletores apropriados onde os medicamentos devem ser descartados. É preciso observar com atenção o prazo de validade e jamais fazer uso de produtos vencidos. Também é importante evitar guardá-los em locais úmidos e quentes.


5- Esclareça suas dúvidas


Recorra sempre ao médico, farmacêutico ou a uma equipe médica em um posto de saúde ou hospital, caso tenha dúvidas sobre a medicação que necessita utilizar.


Outros


Saiba como descartar corretamente e as consequências de jogar remédios no lixo comum.


Confira a Cartilha para a Promoção do Uso Racional de Medicamentos, disponibilizada pelo Ministério da Saúde clicando aqui.


Confira também a Cartilha lançada pela Fenafar.




Compartilhe