Blog

Doutor, saiba o que não pode faltar na primeira consulta


Hoje, quando se fala tanto no estreitamento da relação entre médicos e pacientes, é importante que você atente para a importância do primeiro contato e que logo de início coloque seu interlocutor à vontade. Se ele carrega consigo aflições, saiba ouvi-lo com paciência, pois este é o ponto inicial para que, ao deixar o consultório, esteja satisfeito com a atenção recebida.


Assim, em nova (s) visita (s), um clima ameno e propício já estará criado para que a consulta e o tratamento se desenvolvam de forma positiva.


Fidelização: ouça seu paciente com atenção!



A primeira consulta deve ser o seu verdadeiro cartão de visitas, pois a satisfação de cada paciente com o seu atendimento será repassada e multiplicada, contribuindo para que você seja um médico respeitado e referendado pela sociedade.


Tenha em mente que as pessoas são diferentes, carregando consigo suas dores e aflições. Saber ouvir é uma arte que você deve aprender e cultivar a cada consulta, principalmente quando uma pessoa entra em seu consultório pela primeira vez. Seja agradável e respeite “o tempo do paciente” para que possa expor os motivos que o levaram até você.


Percepção: seus pacientes são diferentes!



Caso perceba que seu paciente seja tímido, procure deixá-lo tranquilo e confortável, ressaltando que toda conversa entre um paciente com o médico no consultório deve ser resguardada pelo sigilo profissional.


Se ele estiver angustiado, cheio de medo, procure acalmá-lo e mostrar que é preciso ter confiança no tratamento. Antes de conclusões precipitadas, faça-o ver que você fará todo o possível, usando seus conhecimentos, para estudar seu caso e chegar a um diagnóstico preciso acerca do mal que o aflige.


A empatia e a confiança têm papel fundamental neste relacionamento. Traga o paciente para o seu lado, como parceiro, fazendo com que deixe de lado o pessimismo para colaborar com o tratamento, seguindo a medicação e as recomendações que você lhe repassar.


Preparação: conheça seus pacientes!



Após ouvir o relato do paciente, peça para que detalhe os pontos que você considera importantes e que possam fortalecer o seu raciocínio em busca de um diagnóstico conciso.


Procure saber acerca de consultas anteriores feitas por ele com outros profissionais e de casos familiares, se utiliza ou utilizou algum medicamento e se já passou por algum tipo de intervenção cirúrgica e registre todos esses dados em um sistema de gestão para facilitar suas próximas consultas.


Lembre-se que as datas são importantes e, caso o paciente tenha levado resultados de exames, veja tudo com calma. Quando sentir-se suficientemente informado, explique para o paciente as razões daquilo que ele está sentindo, passando então à fase seguinte, com a prescrição médica que julgar correta e o pedido de exames. Explique tudo detidamente e pergunte a ele se tem alguma dúvida. Sem pressa. Finalize a consulta ressaltando a importância de seguir as orientações repassadas.




Compartilhe