Blog

Anvisa prioriza análise de medicamentos inéditos

medicamentos-inéditos


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária tem dado prioridade para análise de medicamentos inéditos no Brasil, a fim de aumentar as opções de tratamento disponíveis. Com isso, drogas ou genéricos inéditos poderão entrar no mercado em menor tempo. No final da última semana foram aprovados dois remédios e, recentemente, a Anvisa aprovou um novo produto biológico para o tratamento da hemofilia.


Pacientes com gota terão novo tratamento


O tratamento da gota passou a contar com uma alternativa. Os enfermos com altas taxas de ácido úrico no sangue agora terão à disposição o novo medicamento Zurampic (lesinurade), cujo registro foi aprovado pelo órgão governamental. Ele é indicado para o tratamento da hiperuricemia associada à gota em combinação com um inibidor da xantina oxidase em pacientes acima de 18 anos.


O medicamento será fabricado pela Hovione Limited, empresa localizada na Irlanda, enquanto a titular do registro do medicamento no Brasil será a Astrazeneca do Brasil Ltda.


A terapia combinada com lesinurade e um inibidor da xantina oxidase age tanto na excreção quanto na produção do ácido úrico, proporcionando uma abordagem de duplo mecanismo que efetivamente reduz o ácido úrico sérico. Além disso, permite que um número significativamente maior de pacientes atinjam e mantenham as metas do tratamento para o controle da enfermidade.


Aprovado tratamento inédito para convulsões em crianças


Outro medicamento disponibilizado pela Anvisa foi o Inovelon (rufinamida), recomendado para o tratamento auxiliar das convulsões associadas com a Síndrome de Lennox-Gastaut (LGS) em crianças acima de 4 anos de idade e com mais de 18kg e em adultos.


A nova droga será fabricada pela empresa Bushu Pharmaceuticals Limited, do Japão, e a titular do seu registro no Brasil será a empresa Esai Laboratórios Ltda., de São Paulo (SP).


Novo produto para combater a hemofilia


Recentemente, a Anvisa aprovou um novo produto biológico para tratar adultos e crianças com hemofilia. O Eloctate (alfaefmoroctocogue) é uma proteína de ação prolongada, recombinante, que substitui temporariamente o Fator VIII de coagulação, necessário para o controle e a prevenção de hemorragias, ausente no sangue dos pacientes.


O Eloctate (alfaefmoroctocogue) foi aprovado para as seguintes indicações terapêuticas: controle e prevenção de episódios hemorrágicos, manejo perioperatório (profilaxia cirúrgica) e profilaxia de rotina para prevenir ou reduzir a frequência de episódios hemorrágicos. Este medicamento, contudo, não indicado para o tratamento da Doença de von Willebrand.




Compartilhe


A ferramenta que faltava na sua clínica e consultório!

Aumente a produtividade e simplifique suas tarefas diárias com nossos softwares para gestão de consultórios e clinicas médicas. Conheça agora o ProDoctor!

Saiba mais!

Buscar



Categorias