Blog

Interações entre medicamentos e alimentos

Interações entre medicamentos e alimentos


Os medicamentos e os alimentos podem interagir entre si de forma benéfica ou indesejável. No primeiro caso, facilitando a absorção ou diminuindo seus efeitos colaterais. Por outro lado, pode impedir tal absorção, diminuindo sua eficácia e comprometendo o tratamento de determinada enfermidade. Podem ter implicações clínicas tanto no processo terapêutico como na manutenção do estado nutricional, cabendo ao médico repassar ao paciente todas as informações sobre esta relação, alertando para as associações negativas.


Estas interações são múltiplas, com mais de 300 descrições. Todavia, poucas são clinicamente relevantes, daí a importância de o paciente ter conhecimento acerca de suas medicações, da sua necessidade de tomá-las e a forma correta de sua administração ao relacioná-las com os alimentos.


Grupo de risco


Com relação aos riscos das interações entre alimentos e medicamentos, é importante observar que as pessoas de idade mais avançada compõem o grupo de maior risco, tendo em vista as modificações fisiológicas provocadas pela passagem dos anos, com a consequente diminuição da absorção de fármacos. Além disso, o metabolismo e a capacidade de eliminação também estão alterados.


A diminuição da eficácia terapêutica, o aumento de efeitos tóxicos, a má absorção e a utilização incompleta de nutrientes comprometem o estado nutricional ou acentuam o quadro de desnutrição já existente. Tudo isto reforça a atenção sobre os pacientes idosos, vítimas potenciais das interações medicamentosas, notadamente aqueles com um histórico de doenças crônicas e que utilizam uma grande quantidade de remédios.


Também as crianças estão incluídas neste grupo de alerta aos riscos das interações, uma vez que nessa fase da vida o sistema de desintoxicação ainda não se desenvolveu por completo. Por fim, as grávidas e as lactantes, além dos enfermos abaixo do peso corporal e com alterações renais.


Recomendações para passar a seus pacientes



  • Uma das principais observações a serem seguidas é que os remédios devem ser tomados sempre no mesmo horário e da mesma maneira, conforme a prescrição médica.

  • A advertência acerca da proibição do consumo de medicamentos com bebidas alcoólicas é inevitável. O álcool pode modificar os efeitos de alguns remédios, como o acenocumarol, a insulina e a metformina, além de analgésicos.

  • De forma geral recomenda-se evitar o consumo com leites e seus derivados, café, alimentos com fibra e suco de pomelo, pois podem alterar as características de absorção e biodisponibilidade dos medicamentos. Fármacos como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e ergotamina têm sua absorção aumentada quando ingeridos junto com cafeína.

  • A ingestão de medicamentos logo após a pessoa ter se alimentado ajuda a diminuir os efeitos colaterais, que podem provocar doenças digestivas.


Tudo aquilo que as pessoas ingerem pode interferir no tratamento de alguma enfermidade. Confira aqui uma tabela com as principais interações entre os alimentos e os medicamentos.




Compartilhe