Blog

Dia Nacional da Luta por Medicamentos

Atualizado em 8 de setembro de 2017


Dia Nacional da Luta por Medicamentos


Este 8 de setembro marca o reconhecimento da luta de milhares de ONGs e associações de todo o planeta: o Dia Nacional da Luta por Medicamentos. No Brasil, são notórias as dificuldades de acesso dos pacientes aos tratamentos e aos remédios que necessitam em sua luta contra as enfermidades.


Algumas dessas drogas são medicamentos imprescindíveis para inibir o agravamento de doenças, mas ainda permanecem em fase de aprovação ou tiveram o registro negado devido a entraves burocráticos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mesmo já tendo sido aprovado por agências reguladoras dos Estados Unidos e da Europa.


Além disso, alguns medicamentos não chegam até o paciente do sistema público, tendo em vista a ausência de complementos necessários para manutenção e possível cura de determinada doença.


A dependência de remédios está ligada diretamente à luta diária de pacientes para sobreviver a enfermidades, como por exemplo, a Aids, linfoma, leucemia, mieloma múltiplo e o diabetes. Ansiedade, angústia e incerteza juntam-se ao quadro de permanente sofrimento de soropositivos e daqueles que dependem da insulina ou de drogas para combater os vários tipos de câncer.


No Brasil ainda persiste o problema da distribuição, conforme acontece com os fatores de coagulação para pessoas com hemofilia. Mesmo com o Ministério da Saúde realizando a distribuição, o repasse pelos órgãos estaduais e municipais não é feito. Dessa forma, os medicamentos não chegam até quem deveria ser o maior beneficiado: o paciente.


Diversas medidas facilitaram o acesso da população de baixa renda aos medicamentos. Algumas conquistas importantes foram alcançadas por entidades públicas e privadas, com a distribuição gratuita de remédios considerados imprescindíveis para portadores de diversas doenças e a quebra de patentes dos grandes laboratórios farmacêuticos. Outro excelente avanço foi a difusão dos genéricos no Brasil.


Medicamentos de alto custo


Também conhecidos como excepcionais, são os considerados mais caros e que, por este motivo, possuem atenção especial. O paciente consegue estes remédios conforme o diagnóstico de sua enfermidade, que requeira um tratamento caro, com drogas de valor alto nos laboratórios, distribuidoras e farmácias.


É o momento em que o cidadão passa por grande dificuldade, uma vez que é obrigado a reunir uma extensa papelada: documentos que comprovem a doença, atestados médicos, comprovantes de internações, guias médicas e com tantas outras exigências determinadas pelos estados.


Estes remédios são padronizados pelo Ministério da Saúde, para tratamento de determinadas enfermidades, sendo adquiridos pela Secretaria de Estado de Saúde com verba oriunda das instâncias federal e estadual. O Sistema Único de Saúde (SUS) garante os medicamentos para o tratamento de doenças como insuficiência renal crônica, tratamento de hemodiálise, hepatite ‘C’, hemofilia, pacientes submetidos a transplantes, esclerose múltipla, anemia falciforme, psoríase, puberdade precoce e quimioterapias (câncer).


Bulário online


O Medicamentos é um aplicativo gratuito disponível para iOSAndroid, Windows e Mac. Foi concebido especialmente para farmacêuticos e demais profissionais da saúde, que poderão consultar as bulas, descobrir os genéricos e similares disponíveis (equivalência farmacêutica) e ter acesso às demais informações sobre os medicamentos, como: indicações e características farmacológicas, contra indicações, advertências e precauções, interações medicamentosas, posologia, reações adversas e superdose.


Além disso, ele possui uma central de notificações, que informa desde medicamentos novos adicionados até notícias relevantes do meio farmacêutico.




Compartilhe