Blog

Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

Dia Mundial de Prevenção do Suicídio


Um silêncio respeitoso acompanha o desconforto e o receio de se falar a respeito, mas no sábado, 10, Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, os sinais de alerta soaram mais fortes como um grito de que é possível prevenir a fatalidade.


A triste decisão de uma pessoa atentar contra a própria vida é mais comum do que se imagina em todo o mundo e as estatísticas revelam um preocupante aumento principalmente entre a população jovem, sendo a principal causa de morte entre jovens de 25 a 34 anos e a 15.ª causa no mundo. Desde 1990 passou a ser tratado como um problema de saúde pública e, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 805 mil pessoas cometem suicídio por ano. Em 2012, foram 11.821 mortes, sendo 9.198 homens e 2.623 mulheres.


Suicídio no Brasil


O Brasil é o 8º país com mais casos no planeta, registrando aproximadamente 12 mil suicídios por ano. Na triste realidade, ocupa a 113.ª posição do ranking mundial em número de casos por 100 mil habitantes. Conforme relatório divulgado recentemente pela OMS, é o 4º latino-americano com o maior crescimento no número de suicídios entre 2000 e 2012, com um aumento de 10,4% na quantidade de mortes (alta de 17,8% entre mulheres e 8,2% entre os homens).


Chama a atenção o fato de o número de mulheres ter crescido mais (17, 80%) do que o número de homens (8,20%) nesse período. A mortalidade de pessoas com idade entre 70 anos ou mais é maior.


É a terceira causa de morte entre homens com idade de 15 a 29 anos e os distúrbios mentais estão associados a praticamente 100% de todos os casos no Brasil. O estado do Rio Grande do Sul tem mais casos por habitantes, enquanto o Rio de Janeiro apresenta menos.


Embora o transtorno psiquiátrico seja condição necessária, não é suficiente para o comportamento suicida. Dados recolhidos em todo o mundo apontam que 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados. Além disso, um melhor acolhimento nos serviços de saúde poderia ajudar muito mais.



Atenta à questão, a ABP acredita que o problema poderia ser atenuado, caso os profissionais que atuam na saúde mental fossem mais bem capacitados e se os serviços de emergência funcionassem realmente de maneira adequada.


Prevenção do Suicídio


Dia Mundial de Prevenção do Suicídio


1 - Diretrizes


Em 2006, o Ministério da Saúde criou as Diretrizes Nacionais para a Prevenção do Suicídio, através da Portaria nº 1.876, abordando a implantação “em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão”.  Alguns pontos prescritos no artigo 2º:



  • I - desenvolver estratégias de promoção de qualidade de vida, de educação, de proteção e de recuperação da saúde e de prevenção de danos;

  • II - desenvolver estratégias de informação, de comunicação e de sensibilização da sociedade de que o suicídio é um problema de saúde pública que pode ser prevenido;

  • III - organizar linha de cuidados integrais (promoção, prevenção, tratamento e recuperação) em todos os níveis de atenção, garantindo o acesso às diferentes modalidades terapêuticas.


2 - Campanhas


Através das redes sociais, o CFM e a ABP lançaram a Campanha Nacional de Prevenção ao Suicídio, com as entidades solicitando aos médicos e à sociedade para postarem fotos com destaque à cor amarela, marcando com a hastag #AcreditoNaVida. O objetivo do CFM e da ABP é sensibilizar todos para a importância e gravidade do tema, simbolizando o compromisso com a vida, uma vez que a cor amarela significa vida, luz, alegria, um contraponto simbólico ideal do problema.


ABP e CFM consideram que inexiste uma política de atenção, com infraestrutura e recursos humanos suficientes, para ajudar quem sobre com stress, depressão e esquizofrenia, transtornos que podem levar ao desejo suicida.


3 - Cartilha


Em 2014, o Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria firmaram parceria para combater os altos índices de suicídio no Brasil e lançaram o manualSuicídio: Informando para Prevenir”, com um estudo acerca do comportamento suicida do brasileiro ao longo da vida, considerando-se um habitante a cada 100. Das 17 pessoas que pensam a respeito, cinco planejam, três tentam efetivamente e uma chega ao autoextermínio.


O objetivo é orientar os médicos e profissionais da área de saúde em casos de tentativa de suicídio ou para identificarem possíveis casos em seus pacientes. O manual fala sobre como abordar um paciente, explica de que forma as doenças mentais podem estar relacionadas ao suicídio, os fatores psicossociais e contém dados atualizados sobre o tema.


Confira aqui Verdades e Mitos sobre o Suicídio e compartilhe a cartilha “Suicídio: informando para prevenir”.


4 - Facebook


Nas redes sociais, o Facebook, em parceria com o Centro de Valorização da Vida, lançou em junho passado uma ferramenta, com dicas simples, que atuam como prevenção e podem salvar uma vida. Caso um usuário perceba que outro está, por meio de postagens, manifestando ideação suicida, poderá acionar o Facebook e receber noções de que tipo de apoio poderá dar a quem está em sofrimento. Além disso, a vítima também pode contar com uma ajuda on-line, sem necessidade de se identificar.


5 - Jogos


Na Fiocruz, um jogo web também soma-se à luta pela prevenção. Trata-se do Depression Rescue (nome provisório), criado pelo Núcleo de Jogos Digitais do Multimeios do Icict/Fiocruz, que enfoca a questão da depressão, um dos principais gatilhos da ideação suicida.


Seu objetivo é identificar as pessoas com transtorno de espectro depressivo e tentar aproximá-las de uma rede de amigos para que recebam suporte e possam ser encaminhadas a um profissional de saúde. Cada “partida” dura apenas dois minutos e ganha quem consegue ajudar o maior número de pessoas. Ainda em fase de testes finais, já pode ser acessado e está disponível para as plataformas PC e MAC, mas ainda sem previsão de ser lançado em tablet ou celular.




Compartilhe