Blog

Novo medicamento será utilizado no controle do peso em adultos

Novo medicamento será utilizado no controle do peso em adultos


O fármaco sintético injetável Liraglutida foi lançado no Brasil em 2011 como opção terapêutica para o tratamento do diabetes tipo 2 e tem demonstrado resultados promissores no controle do excesso de peso mesmo em pessoas obesas sem diabetes. Sua ação principal ocorre no intestino, onde inibe a ação do hormônio GLP-1, prolongando a sensação de saciedade. Ele é utilizado por pessoas com diabetes tipo 2 que têm dificuldade em controlar os níveis de glicose no sangue com dieta, exercícios e ajustes no estilo de vida.


Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro do medicamento Saxenda (Liraglutida), a fim de se obter o controle crônico de peso, associado a uma dieta baixa em calorias e aumento de exercício físico. Embora existam diversos produtos no mercado prometendo o emagrecimento pela eliminação de gordura, o efeito do Saxenda será apenas inibir a fome.


Ele será o primeiro remédio de emagrecimento aceito no Brasil desde 1998, devendo ser comercializado neste segundo semestre, com o custo aproximado de R$ 400,00. Apesar de ser emagrecedor, a Anvisa lembra que o Saxenda deve ser ministrado sempre com orientação médica. A segurança do produto continuará sendo monitorada com estudos pós comercialização.


A nova droga fará companhia aos dois medicamentos do tipo liberados no País: a Sibutramina e o Orlistat. O primeiro, que age sobre a serotonina e dá a sensação de saciedade, ficou restrito por dois anos devido aos efeitos colaterais com risco cardiovascular, mas hoje é vendido em farmácias de manipulação. Já o Orlistat, conhecido comercialmente como Xenical, reduz a absorção de gordura em 30% e a elimina nas fezes, não sendo recomendada sua utilização por quem tem dificuldade para absorver nutrientes.


Saxenda será tarja vermelha


Nas farmácias, o Saxenda será vendido com tarja vermelha, indicando que sua comercialização está condicionada à prescrição médica, mas sem retenção de receita. Sua indicação é para os adultos com Índice de Massa Corporal (IMC) maior que 30. Já para os pacientes com sobrepeso, que apresentarem pelo menos uma doença relacionada, como pré-diabetes, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, dislipidemia ou apneia obstrutiva do sono, o IMC poderá ser de 27 para cima.


O Saxenda é produzido pelo laboratório Novo Nordisk, da Dinamarca, o mesmo responsável pelo medicamento Victoza, para diabetes. Embora tenham o mesmo princípio ativo, agindo da mesma forma, sua dosagem será diferente. Um hormônio que o intestino produz é injetado e, lá, ele melhorará a produção da insulina, com o cérebro recebendo então a sensação de saciedade. Enquanto um remédio é destinado ao tratamento do diabetes e outro para perda de peso, um fará maior efeito em termos de emagrecimento.


Redução da glicose, proteção do coração


Em junho passado, os efeitos positivos do Liraglutida foram comprovados através de um estudo que envolveu mais de 9 mil participantes em 32 países no 76º Congresso da Associação Americana de Diabetes, em New Orleans (EUA). O composto discutido, com o nome comercial de Victoza, se revelou eficaz para diminuir os riscos de ataque cardíaco ou morte em pacientes de diabetes tipo 2 (adquirida) de alto risco para doença cardiovascular. A redução entre os voluntários da pesquisa foi de 13%.


Segundo os pesquisadores, tal diminuição evitou a morte de 98 pessoas e a análise dos dados em separado revelou ainda uma queda de 15% de risco de morrer por qualquer causa. Inclui-se aí, por exemplo, uma redução após um pico de hipoglicemia.




Compartilhe