Blog

Estetoscópio ganha status tecnológico

Eko Core - O Estetoscópio do futuro


Em 1816, utilizando um tubo de madeira, o médico francês René Laennec construiu o primeiro estetoscópio. Ao longo dos anos, o aparelho destinado a auscultar os sons produzidos por certos órgãos do corpo, como coração, pulmões, intestino, artérias e veias adquiriu um valor quase cultural. Ao lado do jaleco, acabou transformado em um ícone, associado de forma definitiva ao profissional da Medicina e estabelecendo diretamente sua identidade e diferença em relação às demais profissões.


Com os avanços diários da tecnologia, agora é ele quem está na linha de frente das inovações, pois a Eko Devices, empresa dos Estados Unidos que desenvolveu o Eko Core, recebeu autorização do Governo, através da Administração de Remédios e Alimentos (FDA, na sigla em inglês), e está comercializando o dispositivo digital. Este, ao ser conectado ao aparelho médico, está capacitado para registrar, analisar, gravar, amplificar e compartilhar áudio e imagens das ondas de som para um aplicativo disponível para iPhone.



O novo estetoscópio se conecta a dispositivos móveis por meio de Bluetooth, que inclui um filtro de áudio capaz de reduzir os ruídos de fundo e pode ser operado nas formas analógica e digital. Conforme anunciaram seus inventores, Connor Landgraf, Tyler Crouch e Jason Bellet, o estetoscópio do futuro é seguro e atende às normas de privacidade. Também asseguraram que poderá ser usado para facilitar os exames realizados em clínicas e hospitais. Segundo a Eko Devices, “o Eko Core é o primeiro dispositivo que pode ser integrado com um sistema de registro eletrônico de saúde.


Além de apresentar potencial para melhorar a precisão do diagnóstico, as informações sonoras recebidas com a nova tecnologia possibilitarão estabelecer comparações entre os prognósticos do paciente em momentos diferentes. O modelo já está à venda nos EUA por valores entre US$ 199 e US$ 299 e é eventualmente acompanhado por um algoritmo de apoio à decisão clínica na caracterização dos sons. O lançamento do aplicativo, em Android, está previsto para o início de 2016.




Compartilhe