Blog

Você é produtivo em seu trabalho, doutor?

Atualizado em 21 de janeiro de 2017


medico-trabalhando 


Hoje em dia é muito fácil se distrair na hora em que mais precisamos focar e produzir. O telefone apita de minuto em minuto alertando que há novas mensagens a ler e responder, que novos emails chegaram e que aquele seu amigo está querendo conversar.


No computador, você vai buscar algo na internet e acaba navegando por outros mares, como uma notícia que te chamou atenção, uma checada nas redes sociais e até um joguinho novo que acabou de ser lançado e prende a sua atenção por mais tempo do que devia, fazendo os atendimentos atrasarem. 


Estes são problemas que todos que estão habituados a lidar com a tecnologia no dia a dia encaram e tentam não serem atingidos. Tarefa árdua esta, mas totalmente possível, bastando para isso que cada um se atente ao problema e se policie para não passar do limite.


Em um estudo feito pelo site de empregos CareerBuilder foram ouvidos profissionais da área de RH que listavam as maiores causas de queda de produtividade no trabalho e dentre elas estavam:



  • Troca de mensagens via celular: que a conversa através da troca de mensagens é super econômica e prática, ninguém pode negar. Porém, a mesma pode te atrapalhar em um momento que você precisa de concentração. Se o seu trabalho não depende destas trocas de conversas, é melhor deixar seu celular desligado ou longe de você durante as suas horas de trabalho e estudo para que você não caia em tentação.

  • Navegar na internet: basta uma conexão com a internet para que milhares de opções se abram a sua frente: checar emails, ler notícias, conversar com amigos, assistir vídeos e navegar nas diversas redes sociais podem parecer mais interessantes do que realizar as tarefas as quais você deve realizar. Porém é preciso resistir à tentação! Se você não depende de um computador para trabalhar e/ou estudar, fique longe dele durante este tempo. Porém se você depende, só lhe resta trabalhar o seu autocontrole mesmo. Estipule pequenas pausas para a navegação durante o seu horário de concentração e produtividade e se policie para obedecê-las.

  • Fofocas e conversas paralelas: problemas totalmente recorrentes entre pacientes e médicos, as conversas podem tomar o tempo que deveria ser para atender o próximo paciente. Além disso, podem tornar-se rotineira, fazendo perder seu precioso tempo. 

  • Reuniões: enquanto uns as adoram, outros as odeiam. É fato que não há como fugir, o médico precisa conversar com sua equipe. Uma hora alguma vai ter que acontecer, porém quando se tornam constantes e demoradas é hora de rever este conceito.

  • Pausas para cigarros e lanches: para os viciados em nicotina, 8 horas sem fumar não é nada possível. E 8 horas sem comer também não é nada saudável (e daí vem todo aquele papo de que é necessário comer de 3 em 3 horas). Porém, há quem abuse destes momentos, e até utilize disto como uma desculpa para a procrastinação. Portanto, policie o tempo que você está gastando nestas atividades durante o dia e analise se você não consegue baixar um pouco mais essa marca.


Sabemos que as pausas entre pacientes podem (e devem) ser realizadas, pois ajudam o médico a relaxar e melhorar a sua concentração. Só tome cuidado para não exagerar no tempo gasto nelas!




Compartilhe